Sindicatos de todo o país protestam contra demissões nos bancos

Em Jundiaí, protesto aconteceu em frente ao Bradesco centro. #QuemLucraNãoDemite #BradescoRespeitoOBrasil #SantanderRespeiteOBrasil #ItaúRespeiteOBrasil

Na manhã desta quinta-feira (15), Sindicatos de Bancários de todo o país realizaram atos em protesto contra as demissões que ocorrem durante a pandemia no Bradesco em todos país.

Em Jundiaí, o Sindicato realizou manifestação com cruzes e cartazes, denunciando as demissões em frente à agência do Bradesco centro.

Em meio à crise econômica, o Bradesco já faturou R$ 7,626 bilhões, no primeiro semestre de 2020. Mesmo assim, o banco considera normal demitir pais e mães de famílias durante uma crise de escala mundial.


Em reunião entre a COE (Comissão de Organização dos Empregados do Bradesco) e a direção do Bradesco, realizada na quinta (8), o banco afirmou que vai continuar o processo de demissões na empresa, mesmo em meio à pandemia, contrariando a reivindicação dos representantes dos trabalhadores e o compromisso assumido em março de que não haveria dispensas nessa fase’’, informa o Sindicato.

Douglas Yamagata, secretário geral do Sindicato, diz que os clientes também ficam espantados com a falta de funcionários, decorrente das demissões. ‘’Os clientes estão indignados com a falta de bancários para os atendimentos. Muitos vêm até nós e comentam estar surpresos com as demissões num momento como esse. O banco está acabando com o atendimento presencial dos caixas, piorando ainda mais a situação. Além disso, está acabando com a presença dos vigilantes, tornando os locais vulneráveis a golpes na saidinha de banco e assaltos”, informa Douglas.


Os bancários ainda reclamam que, com a transformação das agências em Unidades de Negócio, há um acúmulo maior de contas a serem administradas por funcionário. ”Muitos gerentes hoje têm que administrar praticamente o dobro de contas na carteira, sem contar com as metas que continuam impossíveis, ainda mais nesta época de pandemia”.


Clima de terror
Douglas destaca que a notícia de que o banco continuará demitindo têm deixado os funcionários apavorados. “Sem dúvida, o banco conseguiu criar um clima de terror. Os bancários estão preocupados e não sabem como será o dia de amanhã. Só no departamento de RH do Bradesco, foram cerca de 60 demissões”.

O Sindicato continuará protestando e pressionando para que o banco pare com as demissões. ”O banco afirma estar preocupado com o seu futuro, mas ao que tudo indica, não está nem um pouco preocupado com o futuro dos funcionários.’’, contesta Yamagata.


Bancários de todo o país também vão subir uma hashtag nesta quinta para tentar sensibilizar o banco e a sociedade com o mote #BradescoPensenoFuturo. A hashtag já chegou a mais de seis menções nesta semana, ocupando o 20º lugar entre as mais comentadas no país.

Confira a fala de Douglas Yamagata durante o ato em Jundiaí

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email