Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região entra com ação contra retirada de gratificação dos caixas no BB

‘’Pedimos tutela antecipada para que a gratificação seja mantida e incorporada no salário desses profissionais’’, informa Departamento Jurídico do Sindicato.

O Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região entrou, nesta segunda-feira (22), com Ação Civil Pública contra a retirada de gratificação dos caixas do Banco do Brasil.

A advogada, Aparecida das Neves, do Departamento Jurídico do Sindicato, informa que na polêmica reestruturação do banco, que inclui demissões e fechamento de agências, o BB também extinguiu a gratificação dos caixas ‘’O banco jamais poderia ter agido dessa forma, haja vista ter alterado o contrato de trabalho sem concordância dos empregados, na medida em que suprimiu a gratificação do cargo de caixa, inclusive daqueles que a recebiam há mais de 10 anos’’, contesta.

A ação também foi movida por sindicatos de outras cidades e pela Contraf-CUT, que já conseguiu uma liminar na Justiça do Trabalho em Brasília, impedindo que o BB retire a gratificação, até que o mérito da ação seja julgado, e determinando que o banco incorpore a gratificação de função para aquelas que a exercem há mais de 10 anos.

O Departamento Jurídico do Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região, destaca que se algum valor já foi suprimido, o banco terá que devolver essa quantia. ‘’O pedido de tutela antecipada tem o escopo de garantir que o pagamento da gratificação não seja retirado, bem como garantir que seja incorporada no salário dos caixas que a recebem há mais de 10 anos’’, informa Aparecida.

Para a advogada, o Banco do Brasil perdeu a oportunidade de negociar com trabalhadores e sindicatos os temas da reestruturação. ‘’Não restou outra saída aos sindicatos a não ser adotar as medidas judiciais para fazer esse enfrentamento contra o desmonte do banco e o ataque aos direitos trabalhistas’’.

Decisão
Com abrangência nacional, as liminares já conquistadas determinam que:
• O BB suspenda a “implementação do novo modelo de atuação, designação e remuneração dos caixas executivos”.
• Que os caixas executivos sejam mantidos em seus cargos, com garantia de pagamento da gratificação, até o julgamento final da ação.
• E que, caso a folha de pagamento referente ao mês de fevereiro já tenha sido fechada, o BB deve emitir a folha suplementar.
• O banco ainda pode recorrer da decisão.

fonte: Seeb Jundiaí

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email