ATUALIZE O SEU CADASTRO

 
 
Cabesp: Sindicato apoia chapa Mais Qualidade de Vida
Votação será pelo correiro e vai eleger representantes para as diretorias Financeira e Administrativa e Conselho Fiscal durante o biênio 2010/2011
Apoio



São Paulo - Diante da cassação da liminar que mandava cumprir as regras do estatuto da Cabesp, a votação será novamente pelo correio. Nas eleições anteriores ocorreram várias denúncias de irregularidades, como a coleta de cédulas em branco nas residências de aposentados, através de motoboys.

Os associados da Cabesp irão eleger seus representantes que ficarão à frente das diretorias Financeira e Administrativa e no Conselho Fiscal durante o biênio 2010/2011.

O cronograma do pleito divulgado pela Cabesp prevê:

1. 25 a 27/11:- postagem a todos os associados do material da eleição (cédula, instruções e envelope-resposta), através de carta registrada.

2. 30/11 a 07/12:- todos os associados deverão ter recebido o material para a votação.

3. a partir do dia da recepção do material até o dia 22/12/09(data limite), os associados poderão postar os seus votos através do envelope-resposta.

4. 04/01/2010:- os envelopes serão retirados do Correio pela Comissão Eleitoral, validados e preparados para a apuração.

5. 07/01/2010:- apuração e proclamação dos resultados.

Sindicato apoia chapa Mais Qualidade de Vida - A Afubesp e as entidades sindicais indicam o voto nos candidatos da chapa Mais Qualidade de Vida: Sérgio Zancopé (diretor administrativo), Wagner Cabanal (diretor financeiro) e Carmen Meireles e Cristiano Meibach (conselheiros fiscais).

São representantes qualificados e engajados na diversas batalhas travadas em defesa dos direitos dos funcionários da ativa e aposentados do Banespa. O compromisso é manter a caixa beneficente com segurança e melhor atendimento e cobertura para a família banespiana. Cada associado deve postar diretamente o seu voto através do envelope-resposta pelo correio, evitando passá-lo para terceiros.

Conheça melhor os candidatos
Para Diretoria Financeira, Wagner Cabanal
Foi eleito diretor administrativo da Cabesp e cumpriu mandato de 2006 à julho de 2008. Ingressou no Banespa em 1987. Trabalhou no Departamento Internacional, no Centro de Decisão, na Diretoria de Riscos, como analista sênior. Atualmente, é diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo e Região e da Afubesp, onde é um dos coordenadores do Programa “Qualidade de Vida”. É formado em Ciências Contábeis pela PUC São Paulo e pós-graduado em Gestão Pública pela Faculdade de Sociologia e Política (FESP).
Para Diretoria Administrativa, Sérgio Zancopé
Integrante da Comissão Nacional dos Aposentados do Banespa (CNAB) e diretor da Afubesp, Zancopé está na luta pelos reajustes retroativos das complementações do pessoal pré-75 e pelo resgate da Resolução 118/97 do Senado Federal desde 2001. Ingressou no Banespa em janeiro de 1970. Foi diretor de operações da Cabesp e diretor de esportes do E.C. Banespa por duas gestões. É formado em Administração, Economia e Educação Física, pós-graduado pela Universidade de São Paulo (USP) em Administração Esportiva.
Para o Conselho Fiscal, vote em apenas um nome
Maria Carmen do Nascimento Meireles
Diretora do Sindicato dos Bancários de São Paulo e Região, participando ativamente da luta em defesa e ampliação dos direitos dos funcionários da ativa e aposentados do banco. Ingressou no Banespa no ano de 1988, e ainda está na ativa com o cargo de Caixa Executiva.
José Cristiano Massoni Meibach
Bancário há 21 anos, é atualmente conselheiro fiscal da Cabesp, eleito em 2008. Atua como dirigente sindical desde 1995. Lotado em Paulínia, hoje é vice-diretor administrativo do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região. Trabalhou no CESER (Centro de Serviços Retaguarda) e na agência Barão de Itapura - Urbi Campinas. É integrante da COE (Comissão de Organização dos Empregados) do Santander pela Federação dos Bancários de SP/MS.



Contraf-CUT com Afubesp e Cabesp - 26/11/2009
 
Santander continua ofensiva contra o Banesprev
Banco quer dominar Conselho Deliberativo do fundo de pensão para aprovar o que quiser. Bancários estão atentos e na luta



São Paulo – Quatro meses depois da tentativa de impor uma série de mudanças no Banesprev, que daria total poder ao banco, o Santander lança agora mais uma ofensiva contra o fundo de pensão dos funcionários. O objetivo da empresa é mudar a composição do Conselho Deliberativo para ficar com dois terços dos votos e poder aprovar o que bem entender no Banesprev, inclusive medidas que venham a prejudicar os participantes.

De acordo com Camilo Fernandes, ex-diretor administrativo do Banesprev e representante dos bancários no grupo de trabalho que discute a reforma estatutária do fundo, a estratégia do banco é garantir sempre a maioria absoluta de dois terços no conselho, condição que lhe dá amplos poderes para mudar estatuto, regulamentos etc. Atualmente, há quatro indicados pelo banco, dois eleitos pelos associados e uma terceira vaga que pertence à antiga diretoria-representante (Direp). Para conseguir a maioria absoluta, o Santander quer acabar com a vaga da antiga Direp.

“Na prática, os bancários têm hoje três votos no Conselho Deliberativo e o banco quatro. Se o Santander simplesmente extinguir a vaga da Direp serão quatro votos para a empresa e dois para os participantes. Ou seja, o banco ficaria com dois terços dos votos e poderia aprovar tudo que quisesse. E isso não vamos aceitar, porque estaríamos passando um ‘cheque em branco’ para o Santander fazer o que bem entendesse com o Banesprev”, explica Camilo, ressaltando que a reivindicação dos bancários é para que essa vaga da Direp seja eleita democraticamente pelos participantes “Aí elegeríamos três conselheiros e o banco quatro, deixando a situação muito mais equilibrada”, completa.

Luta árdua – A briga dos participantes do Banesprev contra as mudanças no estatuto que prejudicam os bancários esquentou no final de julho passado, quando o Santander tentou empurrar diversas alterações goela abaixo dos associados. No dia 1o de agosto, o banco promoveu uma assembleia e encaminhou a votação em bloco, deixando o funcionalismo sem informações sobre o que estava decidindo. Os sindicatos entraram na Justiça e conseguiram uma liminar que suspendeu os efeitos da assembleia e mandou o banco instalar o grupo de trabalho com a participação dos empregados para debater as mudanças estatutárias.

“As alterações que o Santander queria fazer no estatuto prejudicariam e muito os participantes e foram apelidadas de pacote de maldades. Por meio das discussões no grupo de trabalho conseguimos avançar e melhorar alguns pontos.  Apresentamos dez questões que poderiam trazer prejuízos aos participantes e que precisavam ser alteradas. Hoje, após oito reuniões, conseguimos caminhar para um consenso em nove desses pontos. Mas o banco emperrou as discussões sobre a composição do Conselho Deliberativo e, mesmo sem acordo, a direção do Santander quer encerrar as discussões e colocar a proposta de reforma do estatuto em votação. Caso isso ocorra, vamos fazer uma grande campanha pela rejeição”, afirma Camilo.

De acordo com o cronograma, o Santander tem até março do ano que vem para realizar um plebiscito para que os participantes avaliem as mudanças propostas no estatuto do Banesprev. A data ainda não foi marcada pelo banco. “Enquanto isso, vamos continuar apostando no diálogo com a direção da empresa. Mas se o Santander marcar a data do plebiscito, vamos intensificar a mobilização dos associados e rejeitar a reforma estatutária. É a única forma de impedirmos que o banco destrua o sonho da aposentadoria de milhares de banespianos”, finaliza Camilo



Fábio Jammal Makhoul - 27/11/2009

Compartilhe!