Santander retira controle de jornada dos gerentes de atendimento

Bancários que ocupam a função não registrarão mais o ponto, alteração não foi discutida com os representantes dos trabalhadores

O Santander comunicou, nesta quarta-feira 28, que os trabalhadores com função de gerente de atendimento passarão, a partir de 1º de dezembro, a não registrar o ponto (controle de jornada), conforme o artigo 62 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).  

“A alteração é prejudicial aos trabalhadores e foi apenas comunicada ao Sindicato e, não tendo sido objeto de negociação, dificulta o controle de jornada o que poderá sobrecarregar ainda mais esses trabalhadores”, afirma Lucimara Malaquias, coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander. 

O Sindicato orienta a todos os trabalhadores inseridos nessa condição a realizarem controles próprios e a informarem à entidade os desvios e a extrapolação de jornada.

Para o Sindicato, nenhum bancário é efetivamente autônomo em suas decisões e funções e, portanto, não pode ser comparado ao empregador em autonomia, como sugere o artigo 62 da CLT. 

“Todos estão sujeitos à hierarquia, a normativos e a regras, inclusive legais. E o banco, enquanto empregador, tem condições de fazer controle de jornada, mesmo que não haja registro de ponto. Portanto, ao não cumprir com suas respectivas jornadas, o banco irá dificultar o dia a dia destes trabalhadores impondo tal alteração”, pontua Lucimara. 

O Sindicato está à disposição para orientação desses trabalhadores quanto aos seus direitos. “Também orientamos aos bancários que nos mantenham informados quanto ao cumprimento de sua jornada e sobre quaisquer desvios de conduta do Santander, para que possamos intervir junto ao banco.”

Fonte: SPBancários com edições SeebJundiaí

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email