Medida viola a convenção coletiva e Sindicato protesta 

Como anunciado pelo presidente do Santander, a partir deste sábado o banco deu início ao funcionamento de 29 agências em todo o país.  A agência da rua Barão, no centro de Jundiaí, foi uma das que abriu neste 4 de maio.

O Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região protestou com a presença de diretores e cartazes chamando atenção para o abuso cometido pelo Santander. “O banco chamou os funcionários para atuarem, e mais grave, de forma voluntária com o argumento de realizar uma orientação financeira, o que não é correto”, destaca Paulo Malerba, presidente do Sindicato.

Segundo ele, o mais sensato seria fazer esse trabalho durante a semana, remunerando os funcionários, e numa ação direta com as comunidades. “É um absurdo um banco que tem finalidade de lucro, e é de fato muito rentável, pedir que os funcionários façam trabalho voluntário. Não somos contra a orientação financeira, mas pelo que presenciamos, a atividade, além de ter sido um fiasco, pode abrir precedentes para abertura habitual das agências aos sábados”, disse Malerba.

Medo de demissão

Com a digitalização dos serviços e o alto número de cortes nos bancos, os funcionários, temendo a demissão, tiveram de fazer trabalho voluntário a um banco que só em 2018 faturou R$ 12 bilhões. Cerca de 1200 bancários participaram da atividade do sábado. “O banco quer orientar a população, mas esquece de dar o exemplo, porque cobra juros e tarifas bancárias altíssimas de clientes e usuários”, lembra Douglas Yamagata, secretário geral do Sindicato. Segundo ele, a medida também é ilegal porque descumpre a Convenção Coletiva de Trabalho da categoria que vale para todo o território nacional.

O Sindicato continuará acompanhando o processo e fará os encaminhamentos necessários.

fonte: Seeb Jundiaí

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email