Real ABN segue no topo de reclamações do BC

 

Real ABN segue no topo de reclamações do BC

O Banco Central divulgou nesta terça-feira, dia 15, a lista de reclamação referente ao mês de dezembro de 2007. Pelo terceiro mês consecutivo, o banco Real ABN lidera o ranking com índice de 3,60. Em segundo lugar está a Caixa Econômica Federal (2,34), seguido do Unibanco (2,30), Nossa Caixa (2,27) e Santander (1,75).

Dentre as dez reclamações mais freqüentes estão: atendimento, fornecimento de documentos, liquidação antecipada, prazos não estabelecidos/cumpridos, fornecimento de informações, transparência nas relações contratuais, produtos/serviços não solicitados, tarifas e contas/débitos.

Conforme a Federação dos Bancários da CUT de São Paulo (FETEC/CUT-SP), o resultado divulgado pelo BC reflete o clima de insegurança e instabilidade vivido por funcionários e clientes do Real ABN desde o início dos debates sobre a fusão do banco.

Breve histórico – Em 2007, ampliaram-se os rumores de uma possível venda/fusão do conglomerado ABN Amro. Já no dia 08 de outubro, foi anunciada a compra da instituição financeira pelo consórcio formado entre os bancos Santander, Fortis e o Royal Bank of Scotland (RBS).

Considerada por especialistas como a maior operação de compra/fusão já realizada no setor bancário mundial, a transação continua gerando muitas dúvidas e especulações, especialmente no que se refere à garantia de emprego e direitos adquiridos. O fato é que passados três meses do anúncio oficial de compra nenhum esclarecimento foi dado a clientes e funcionários.

Jornalista: Michele Amorim

Compartilhe!