Previdência pode ter déficit de R$ 47 bilhões

BRASÍLIA - O ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, afirmou hoje que o reajuste de 7,7% concedido pelo governo aos aposentados pode elevar o déficit anual da Previdência em 2010 para R$ 47 bilhões. De acordo com o ministro, o impacto do reajuste será de até R$ 2 bilhões e que a previsão, até então, era de R$ 45 bilhões.

Gabas foi um dos ministros favoráveis à concessão do reajuste no patamar aprovado. Segundo ele, a economia do país tem capacidade de acomodar o impacto do novo valor sem maiores riscos.

De acordo com o ministro, o reajuste retroativo gerou um gasto de R$ 700 milhões referente aos meses de janeiro a junho. Ao todo, haverá um impacto de R$ 1,73 bilhão para as 13 parcelas pagas ao longo do ano. A fixação desses valores considerou o aumento da alíquota do reajuste de 6,14% para 7,72%.

No início do ano, porém, o governo previa um déficit anual da Previdência de R$ 50 bilhões. A nova estimativa, que irá considerar o impacto do reajuste, será apresentada em julho. 

“Nossa necessidade de financiamento (déficit anual) não será maior, como previmos, por força do aumento da arrecadação, do bom momento de crescimento do país e da previsão de aumento do número de empregos até o final do ano”, disse Gabas. 

Ele ressaltou que a criação de 300 mil empregos por mês em média contribuirá para aumentar a arrecadação do sistema previdenciário.

O ministro afirmou que não gostaria de alimentar a discussão sobre quem foi contra ou a favor do reajuste concedido aos aposentados. “Não se trata de apontar quem saiu perdedor ou vitorioso, mas sim olhar o resultado que o reajuste trará para a sociedade.”

Ainda de acordo com Gabas, o aumento não deverá estimular o crescimento da inflação. Segundo ele, o gasto dos aposentados não deve gerar elevação significativa do consumo.

Fonte: Valor On Line

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email