PLR VEM EM BOA HORA

PLR chega na hora certa no bolso do bancário PDF Imprimir E-mail
Seeb/SP   
11 /02 / 2008
“O dinheiro serviu para pagar as contas e reconheço que é uma importante conquista do Sindicato. Participei desta conquista, indo à assembléia, aderindo às paralisações, agora posso usufruir o que eu e meus colegas conquistamos”, o relato é de um bancário do Bradesco da base de São Paulo, que juntamente com outros 65 mil funcionários da instituição receberam no dia 1º de fevereiro a Participação nos Lucros e Resultados de dois salários mais o valor adicional de R$ 1.800.

De acordo com estudo do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), quando todas as instituições financeiras tiverem distribuído a PLR a seus trabalhadores – o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região já solicitou que todos os bancos antecipem o pagamento – serão injetados pelo menos R$ 2,140 bilhões na economia brasileira. Para chegar a esse valor foi considerado o salário médio de R$ 2.800 e um adicional de até R$ 1.800 de funcionário de banco privado (para bancários do Banco do Brasil e da Caixa as regras são diferenciadas)

“Esses recursos são injetados na economia pela categoria, numa verdadeira distribuição de renda. Além disso, serve para aliviar o bancário de despesas extras do início do ano como o IPVA, IPTU entre outros”, diz o presidente do Seeb/SP, Luiz Cláudio Marcolino.

Conquista – A PLR é fruto de paralisações, mobilizações e intensas negociações com os banqueiros. Em 1995, a categoria bancária foi a primeira a garantir cláusula em Convenção Coletiva Nacional, que estabelece o pagamento da PLR. Os bancos privados, à época, pagavam aos seus funcionários 72% do salário mais o valor fixo de R$ 200. Já os bancos públicos, como o BB e a Caixa, passaram a pagar a PLR a partir da campanha de 2003, quando as direções dessas empresas passaram a negociar de fato com os sindicatos.

Outra bancária do Bradesco também está satisfeita com a conquista. “Trabalho no banco há mais de 20 anos. Acompanhei esta trajetória. A PLR serviu para pagar várias contas e ainda deu para poupar um pouco para eventuais despesas. Sem as conquistas do Sindicato, como a própria PLR, vale-alimentação, vale-refeição, a vida seria muito difícil”.

Santander – Na quinta, dia 7, o banco divulgou seu lucro líquido em 2007. No Brasil, chegou a R$ 1,845 bilhão. O Sindicato já encaminhou solicitação à direção do banco para que faça a antecipação do pagamento da PLR.
 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email