Plano odontológico deve finalmente sair do papel

O Banco do Brasil vendeu na quinta 20 para a SulAmérica Seguros e Previdência a parte que detinha na Brasilsaúde. O acordo encerra as parcerias na área de seguros entre a companhia e a instituição financeira e abre caminho para que finalmente seja implantado o plano odontológico para os funcionários do BB.

De acordo com o presidente do BB, Aldemir Bendine, a venda da Brasilsaúde permitirá ao banco “ir ao mercado em busca de parcerias para oferecer ao funcionalismo um plano consistente e de alta qualidade. É um grande passo para viabilizar a criação do nosso Plano Odontológico. O que posso assegurar é que a prestação desse serviço permanece com alta prioridade na agenda do Conselho Diretor. Estamos fazendo tudo o que é necessário para acelerar o processo e anunciar, em breve, essa importante conquista para todos nós e nossos familiares”, disse Bendine no bate-papo virtual que mantém com os funcionários.

Para a diretora da Fetec-CUT/SP e conselheira fiscal suplente da Cassi, Viviane Assofra, a conquista do plano odontológico é uma grande vitória dos funcionários e do movimento sindical e é fruto da pressão dos trabalhadores nas greves de 2008 e 2009. “Apesar do atraso, finalmente o banco veio a público se justificar. O plano ainda não foi apresentado ao movimento sindical, mas precisa ser custeado pela empresa e fazer parte do modelo de atenção integral à saúde da Cassi. Queremos que a abrangência seja nacional e atenda todos os bancários da ativa e aposentados e seus dependentes”, diz. 

Viviane destaca que já faz mais de uma década que os funcionários do Banco do Brasil reivindicam um plano odontológico. “De lá para cá, foram muitas idas e vindas nas negociações com o BB, que só aceitou viabilizar a assistência em 2008, após muita pressão dos sindicatos e dos associados”, lembra.

 

Fonte: Seeb/SP e Fetec/SP

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email