ATUALIZE O SEU CADASTRO

Nossa Caixa: reunião avança, mas ainda existem questionamentos

Reunião nesta sexta-feira (5), em São Paulo, entre representantes dos bancários e o gestor do BB, Carlos Neto, da GEPs, deu prosseguimento aos debates sobre os problemas decorrentes da incorporação da Nossa Caixa pelo banco federal.

Dentre os pontos elencados pela representação esteve o processo de nomeações dos comissionados, o qual tem acarretado inúmeras denúncias dos trabalhadores, por conta de descontentamentos. Diante da falta de transparência sobre a forma como essas nomeações estão ocorrendo, as partes agendaram para 18/02 reunião, também em São Paulo, para aprofundamento da questão. Na oportunidade, o banco deverá apresentar, de forma detalhada, as informações relativas de pelo menos duas regiões do Estado para que a representação possa analisar.

Outros problemas também foram tema da reunião, como os que estão ocorrendo nos contracheques dos trabalhadores. Neste sentido, a representação requisitou que os holerites tragam a separação das contribuições para aposentadorias, das contribuições para risco e das contribuições para taxa de administração do PREVMais, bem como a descrição de forma clara sobre a Verba de Caráter Pessoal (VCP).

Os representantes sindicais também pleitearam o agendamento de reunião com os responsáveis pela folha de pagamento, em Brasília, no sentido de buscar correção imediata.

Com relação a não aplicação dos PCSs do banco Nossa Caixa devidos, ficou acertado que haverá regularização na folha de fevereiro.

Sobre os PABs, diferentemente do que vinha sendo ventilado no banco, não existe programa para fechamento de unidades. O que deverá ocorrer é a transformação de alguns PABs em agências.

Com relação às remoções automáticas do SACR (Sistema Automático de Remoção), até o momento já ocorreram 1.084 nomeações e as posses dessas referidas nomeações estão garantidas.

Na reunião, o banco informou que iniciará processo de novas contratações, mas as vagas para as quais já existem nomeações estarão reservadas para garantia de posse. Confira os demais pontos de debate:


FGTS – O banco informou que já foi aberta nova conta para os requeridos depósitos e os trabalhadores que se desligarem ou vierem a se aposentar deverão solicitar levantamento dos depósitos do BB e da Nossa Caixa. A nova conta estará normalizada no final de março.


Férias – O BB adota como critério para o cálculo o valor líquido do holerite do mês anterior e ajusta no mês posterior ao retorno das férias.


Caixas – Sobre esse tema ainda não existem definições. Apenas o compromisso de garantia de que todos os caixas executivos manterão o direito na sua referida gratificação.

O entendimento da representação é que, a partir da implantação do Projeto BB 2.0, pelo fato de ampliar o número de caixas, os caixas eventuais devem ser efetivados.


Hora extra – Diante de denúncias sobre registro irregular de horas extras, a representação solicitou que sejam transmitidas aos gestores orientações de como proceder corretamente o registro das horas trabalhadas a mais.


Na avaliação da diretora da FETEC SP, Adriana Pizarro, presente na reunião, os debates possibilitaram ajustes em alguns dos equacionamentos, restando porém importantes questões a serem encaminhadas ainda no decorrer do mês de fevereiro. “Esperamos que os próximos encontros tragam as necessárias soluções. Por isso, a importância de os bancários ficarem atentos e informarem seus sindicatos sobre quaisquer distorções para que possamos buscar os equacionamentos”, salienta a dirigente.


Outros temas não tratados nessa reunião serão remetidos para negociação no dia 10/02, em Brasília.

Fonte: Fetec/CUT/SP

Jornalista: Lucimar Cruz Beraldo

Compartilhe!