ATUALIZE O SEU CADASTRO

Negociações Banco do Brasil

BB atende movimento sindical e revê remuneração dos gerentes de módulo

O Comando Nacional dos Bancários reuniu-se nessa segunda-feira, dia 24, com a direção do Banco do Brasil para a primeira rodada de negociação das questões específicas dos funcionários da empresa na Campanha Nacional 2009. O encontro aconteceu no Rio de Janeiro e retomou pendências das negociações permanentes, além de definir o modelo de negociação dessa campanha salarial.

O Banco do Brasil aceitou a reivindicação do movimento sindical bancário e irá rever a situação dos gerentes de módulo que tiveram sua classificação alterada de Avançado para Básico por falta de certificações. Os bancários voltarão a receber a comissão de gerente de módulo avançado até que haja novo processo de certificação, que está previsto para o mês de novembro, quando então esses gerentes terão que cumprir a exigência. O acerto será feito na folha de pagamento de setembro.

“Essa é uma reivindicação que foi apresentada pelo movimento sindical desde a implantação da medida. Foi uma resposta positiva do banco, que vem na linha do que o presidente da empresa, Aldemir Bendine, afirmou a respeito da valorização do funcionalismo”, avalia Marcel Barros, secretário geral da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos funcionários do banco (CEBB), órgão que assessora o Comando Nacional nas negociações com a empresa.

Na questão da trava para remoções e concorrências, no entanto, o banco respondeu negativamente à demanda dos trabalhadores e manteve o período de dois anos para que os funcionários possam participar deste tipo de processo interno. Os trabalhadores reivindicavam a criação de um modelo de transição para o novo prazo. Ainda nas pendências das negociações permanentes, as partes acertaram que as questões relativas a Comissões de Conciliação Prévia e as tratadas na Mesa Temática de Saúde serão retomadas após o término da campanha salarial.

Temas

O Banco do Brasil concordou em renovar até o dia 30 de setembro o Acordo Aditivo dos funcionários do banco à Convenção Coletiva de Trabalho. O atual acordo vence no dia 31 de agosto. “Foi uma decisão positiva do banco, valorizando o processo de negociação”, afirma Marcel.

Os representantes de bancários e os negociadores do banco acertaram também o modelo da negociação específica desta campanha salarial. Ficou definido que a pauta de reivindicações será dividida em três temas: Saúde e Condições de trabalho; Cláusulas Sindicais e Clãusulas Sociais. A próxima rodada de negociação será dia 1º de setembro, terça-feira, em Brasília, com o tema Saúde e Condições de Trabalho. O encontro também definirá as datas das novas rodadas.

Soluções definitivas

Aproveitando a realização de uma reunião da Rede Gepes no local, os bancários reivindicaram um melhor contato entre as Gepes e os sindicatos. “Destacamos a importância de que estás gerências tenham maior poder para a resolução dos problemas apresentados pelos trabalhadores”, afirma Marcel. “Entendemos que se as Gepes forem mais pro-ativas, poderemos resolver os problemas nas relações entre funcionalismo e empresa desde o seu nascedouro, apontando soluções definitivas para os problemas”, acrescenta.

Fonte: Contraf-CUT

Compartilhe!