Morte no Bradesco de Campo Limpo: Sindicato volta a exigir portas de segurança antes das salas de autoatendimento

Projeto que dispensa as portas de segurança será votado em maio na Câmara de Jundiaí

O assassinato de um comerciante na agência do Bradesco em Campo Limpo Paulista, no dia 21 de fevereiro, causou comoção e também muita preocupação entre clientes e funcionários do banco. A falta de uma porta de segurança antes da sala de autoatendimento, onde ficam os caixas eletrônicos, pode ter sido um facilitador na ação do bandido.

Paulo Malerba, presidente do Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região destaca que a retirada das portas pode estimular a migração dos assaltos à luz do dia. E, segundo ele, os assaltos em caixas eletrônicos, que costumam ocorrer de madrugada, podem se transformar em roubos durante o expediente. ‘’Investir 5% em segurança é muito pouco para os bancos que lucram bilhões ao ano’’, contesta.

No Brasil, as portas do modelo giratório começaram a ser introduzidas no final dos anos 90 em várias agências e postos, após decisão do STF que julgou constitucionais leis municipais com essa finalidade. Em Jundiaí, existe lei municipal de 2014, de autoria do então vereador Paulo Malerba, que obriga os bancos a instalarem a porta giratória antes da sala de autoatendimento. No entanto, nem todas as agências cumprem a lei municipal.

Lei ‘sem portas’

Em novembro de 2018 a Câmara apresentou projeto de lei, de autoria do vereador Paulo Sérgio Martins, que dispensa as portas de segurança nas agências da cidade. “Para os trabalhadores bancários a aprovação do projeto significará um enorme retrocesso”, diz Douglas Yamagata, secretário geral do Sindicato.

Por intervenção do Sindicato e dos bancários, o projeto foi adiado para maio deste ano. Antes disso, a Câmara deve realizar audiência pública para ouvir a opinião dos trabalhadores e da sociedade. “Vamos participar da audiência e mostrar os números à população e aos legisladores sobre o impacto das portas de segurança”, diz Malerba.

De acordo com a Febraban, desde o ano 2000, houve redução de 88,6% nos assaltos ocorridos em agências de municípios que aderiram à instalação das portas giratórias.

fonte: seeb Jundiaí

foto: Bancos sem portas de segurança para o acesso às agências: instalação pode evitar crimes como do de Campo Limpo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *