Menos Metas, Mais Saúde: depoimentos chocam

É alarmante que as metas abusivas sigam tendo espaço dentro dos bancos, ainda mais em tempos que demandam tanta empatia e solidariedade.

“Vamos juntos: 150% de metas já!”, foi o que um gestor disse para sua equipe logo após o falecimento de um colega por Covid-19. Na mesma reunião, sugeriu que o esforço redobrado seria uma forma de honrar a morte do amigo, “um empregado exemplar, produtivo, que batia as metas constantemente”.

Relatos como esse são recebidos todos os dias pelos sindicatos. É alarmante que as metas abusivas sigam tendo espaço dentro dos bancos, ainda mais em tempos que demandam tanta empatia e solidariedade.

A pandemia chegou para agravar um cenário já muito marcado pelas denúncias de assédio moral: “constrangimento”, “pressão” e “cobrança de todos os lados”. O Sindicato de SP reuniu alguns dos depoimentos recebidos como parte da campanha Menos Metas, Mais Saúde.

Assista aos vídeos. Se você se identificar com o ambiente de trabalho relatado neles, não se cale. Procure o Sindicato! Coletivamente podemos combater as práticas abusivas e garantir que o banco não seja mais um motivo de adoecimento.  

 

 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email