Itaú demite reprovados no exame da Anbid

Itaú demite reprovados no exame da Anbid


A aprovação numa prova difícil - o Exame da Anbid (Associação Nacional dos Bancos de Investimento) - está sendo usada pelo Itaú como argumento para demitir bancários. O Sindicato da Baixada Fluminense denunciou a dispensa de bancárias de sua base no mês de dezembro. Os números ainda são pequenos, mas, como o banco ainda não homologou as demissões junto ao Sindicato, é possível que mais trabalhadores tenham perdido o emprego com esta justificativa.

A bancária X, com quase dez anos de banco, trabalhava na área comercial, mas não tinha cargo comissionado. Ela se surpreendeu com a ordem para que freqüentasse o curso preparatório oferecido pelo banco, estudasse em casa as apostilas fornecidas e fizesse a prova. Mas prestar o exame não bastava. Se não fosse aprovada, seria demitida.

Não era a primeira vez que a funcionária prestava o exame, que pagou do próprio bolso. Outra demitida, Y, também prestou o exame às próprias custas. O Itaú paga a prova para os funcionários duas vezes, mas continua exigindo a certificação, mesmo que o empregado não passe na prova.

As duas bancárias tinham urgência em passar, já que o banco havia dado o prazo-limite até o final deste ano para todos os empregados da área comercial obterem a certificação da Anbid. Quem não passasse, segundo os gerentes, seria transferido para a área operacional. Uma das demitidas, ao receber o resultado, chegou a se inscrever para ocupar o posto de caixa. Mas nenhuma das duas conseguiu ser transferida.

O que as duas demitidas estranharam é que colegas bancários de outros bancos só são obrigados a prestar o exame se ocuparem cargo comissionado na área comercial. Mas, no Itaú, a exigência é para todos. Especula-se que, em breve, a certificação será exigida também dos caixas, já que estes empregados também atuam na venda de produtos. Já há denúncias de que todos os novos empregados da área comercial são obrigados a prestar o exame ao final de três meses de banco, logo após o prazo de experiência. Os que não passarem, não continuarão trabalhando na empresa.

Índices comprovam dificuldade

Os gráficos com as estatísticas dos exames de certificação da Anbid realizados em 2007 demonstram claramente que a prova é muito difícil. O índice de reprovação dos candidatos que prestaram o exame impresso é alto e o número de profissionais inscritos pela primeira vez caiu ao longo do ano. O índice de aprovação aumentou no decorrer de 2007, já que os bancários, pressionados, faziam grandes esforços para passar no teste.

A versão online do teste, que representa somente 7,9% do total, teve índices de aprovação ainda piores. A prova eletrônica começou a ser aplicada mensalmente em abril e foram certificados somente 51% dos profissionais que a prestaram.

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email