Falta de segurança nos Correspondentes Bancários

28/02/2008
Assalto em farmácia de SP expõe riscos de correspondentes bancários


Na noite desta quarta-feira, dia 27, dois assaltantes mantiveram reféns cinco funcionários e dois clientes de uma farmácia. O crime ocorreu na farmácia Droga Verde, localizada na rua Turiaçu, em Perdizes, zona oeste de São Paulo. A negociação durou uma hora e meia e se encerrou às 23h30, com a prisão dos assaltantes.

Para o secretário de Imprensa da Contraf-CUT, William Mendes, o episódio demonstra o risco a que estão expostos trabalhadores e clientes que utilizam os serviços de correspondentes bancários, como farmácias, lotéricas e mercados. “Uma farmácia receber contas de mil reais, sem os mecanismos de segurança que os bancos são obrigados por lei a ter, é claro que chama a atenção de bandidos”, preocupa-se o diretor. “As regulamentações do Banco Central abriram esse espaço, mas é um risco a que ficam expostos os clientes. Lugar de movimentações assim é em bancos, com a segurança que nós cobramos e que mesmo neles nem sempre existe”, conclui.


Fonte: Contraf-CUT, com Agência Estado

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email