Entregadores e motoristas iniciam greve por melhores condições de trabalho

Paralisação em 17 cidades deverá crescer no dia 1º de abril, data para a qual está sendo chamada uma uma grande greve unificada

 

Motoristas e entregadores que trabalham para plataformas como Uber, 99 e iFood deflagraram greve nesta segunda-feira (29) em pelo menos 17 cidades do país.

Os trabalhadores reivindicam reajuste nas tarifas e melhores condições de trabalho, que ampliem a segurança e reduzam o adoecimento. O movimento deve continuar pelos próximos dias, ao menos até o início de abril.

De maneira específica, motoristas demandam que a porcentagem de cada corrida que fica com a empresa seja fixada em 20%; que o deslocamento até o passageiro seja pago; que o valor mínimo da corrida seja de R$10 e que se instalem câmeras nos carros das motoristas mulheres.

Segundo eles, motoristas que trabalham para a Uber nunca sabem o quanto vão retirar pela corrida. É preciso aceitar antes para saber o endereço e, eventualmente, descobrir que a corrida não compensa.

Já os entregadores reivindicam, entre outras coisas, a desobrigação de agendar previamente o horário de trabalho; o fim de duas ou mais entregas em uma mesma corrida; que o atendimento deixe de ser feito por robôs, o fim dos bloqueios não justificados; a distribuição de pedidos de maneira igualitária entre as modalidades de entregadores e que as taxas sejam reajustadas anualmente.

Conforme o movimento, as empresas prometeram reajustar a remuneração dos trabalhadores logo que a Petrobras anunciou o aumento de 19% na gasolina e 25% no diesel, mais ainda não cumpriram.

Greve unificada até o início de abril
O ato unificado entre motoristas e entregadores realizado hoje no Rio de Janeiro prossegue nesta quarta-feira. Ao todo, foram realizados protestos em 17 cidades brasileiras.

No Rio de Janeiro, a paralisação coincidiu com a greve dos motoristas do transporte rodoviário. A situação foi normalizada à tarde, com o retorno da circulação dos ônibus. Houve manifestação dos motoristas da Uber e 99 no Aeroporto Santos Dumont e ruas próximas.

Em São Paulo, os motoristas de aplicativos anunciaram que não fariam corridas na segunda-feira e retomariam o movimento na sexta-feira, 1º, com uma concentração em frente ao Estádio do Pacaembu.

Em Belo Horizonte, de forma escalonada, haverá greve de ambas as categorias de hoje até domingo (3). À frente da mobilização estão os entregadores, que prometem paralisar completamente os serviços de delivery durante o fim de semana.

fonte RBA

 

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Toda a categoria, mesmo quem não é sindicalizado, pode participar e indicar as prioridades para a Campanha Nacional até o dia 03 de junho. Participe!