Como fica o pagamento da PLR (bancos privados)

A proposta apresentada pela federação nos bancos, prevê PLR de 90% do salário mais R$ 1.024, com teto de R$ 6.680. O valor pode ser majorado até que seja distribuído pelo menos 5% do lucro líquido, podendo chegar a 2,2 salários, com teto de R$ 14.696.

O valor, de 2% do lucro líquido será distribuído de forma linear a todos os trabalhadores, com teto de R$ 2.100 tenha ou lucro crescido ou não. O valor não pode ser descontado dos programas próprios.

O adicional (acordo de 2008) só era pago nos bancos em que o lucro crescesse pelo menos 15%. A cada ano tornava-se mais difícil atingir esse crescimento, sendo que neste ano praticamente nenhum bancário receberia o adicional, já que os lucros não cresceram ou cresceram muito pouco de um ano para o outro.


Com a proposta conquistada (2009), o pagamento fica garantido e não depende mais do crescimento do lucro e os bancários não correm mais o risco de ficar sem o adicional. Receber uma porcentagem do lucro é uma reivindicação dos bancários desde 2005, sendo que no Banco do Brasil já é vigente. A proposta tem teto, mas por outro lado os bancários podem chegar a receber pela regra básica 2,2 salários que somados ao teto de R$ 2.100 representa um ganho significativo.

 

* O Adicional de PLR na tabela acima está considerando apenas o balanço do 1º semestre 2009. Com a divulgação do balanço do 2º semestre 2009, o Adicional de PLR pode chegar até a R$2.100.

 

 

Fonte: Sind. Bancários de São Paulo

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email