Coisas que voce nunca vai ver a VEJA, O jabor e o Mainardi dizerem

ESPECIALMENTE PARA OS PESSIMISTAS, PRECONCEITUOSOS, LEITORES E LEITORAS DA
VEJA, JABOR, MAINARD E CIA.
07 de janeiro de 2008



Por Paulo Henrique Amorim, jornalista.

2007 foi o melhor ano da história do Brasil, os grandes jornais, na
ausência de algo ruim, de algum novo escândalo inventado e aumentado, não
têm manchete alguma. Vou sugerir uma. A palavra que resume o ano de 2007
é Recorde.

Senão vejamos:
Recorde de empregos (mais de 2 milhões de empregos criados), recorde no PIB
superior a 5% de crescimento), recorde na produção de automóveis, recorde na
venda de automóveis, recorde no crédito, recorde na construção civil,
recorde nas exportações, recorde no superávit primário, recorde nas reservas
internacionais, recorde nas vendas do comércio, recorde na
arrecadação do governo federal (sem aumento de impostos e sim uma melhoria
sensível nos órgãos arrecadatórios e fiscalizatórios), recorde, recorde,
recorde.

Ah, mas que absurdo. Tantos recordes conseguidos por um governinho do PT, de
esquerda, o partido do Presidente Lula, aquele mesmo, torneiro mecânico,
nordestino, o presidente que não tem diploma de curso superior.

É, vivemos o melhor ano da história do Brasil. Parece que muitos já se
esqueceram dos absurdos reajustes nas tarifas públicas dos anos FHC, das
duas vezes em que o país quebrou e teve que recorrer ao FMI, FMI que o Lula,
como prometeu em sua campanha, mandou às favas. Pagou o que FHC devia e
mandou os homens de volta pra sua terra. As tarifas, naquela época, eram
reajustadas sempre muito acima da inflação. E o salário mínimo? Parece que
já se esqueceram do salário mínimo por volta de 70 dólares da época FHC, que
agora se mantém acima de 210, ou seja, o triplo.

Neste quinto ano de governo Lula, o primeiro do segundo mandato, começam a
surtir resultados as medidas de saneamento, organização e revitalização
tomadas no primeiro.

Programas como o Bolsa Família, Proger, Prouni, a MP do Lula, que com os
empréstimos consignados provocaram a queda geral nas taxas de juros (o
empréstimo pessoal batia de 10 a 12% ao mês em 2001) e muitas outras que
provocaram desoneração da produção. Políticas públicas, que só existiam no
dicionário da administração pública, finalmente deram as caras e estão
transformando o país.
Não é à toa, e não é à toa mesmo, que tantos brasileiros têm melhorado de
vida. Mais empregos, melhores salários, mais dignidade e orgulho em ser
brasileiro.

Parabéns ao povo brasileiro, que soube escolher e manter o melhor Presidente
da República da história. Parabéns Senhor Luis Inácio Lula da Silva, tantas
e tantas vezes injustiçado e desrespeitado, como se não fosse o mandatário
maior desse imenso país. Obrigado Lula, pela revolução efetuada pelo seu
governo.

 

Compartilhe!