Classe D ultrapassa classe A nas universidades

População emergente está cada vez mais presente no ensino superior brasileiro. É o que mostra pesquisa do instituto Data Popular desenvolvida para a primeira edição do Congresso Nacional sobre Mercados Emergentes.

O número de universitários passou de 3,6 milhões para 5,8 no período de 2002 a 2009.

Esse crescimento deve-se à inclusão das classes de menor poder aquisitivo. Enquanto que em 2002 a classe A representava 25% dos universitários e a classe D 5%.

Em 2009 a situação se inverteu, com apenas 7,3% pertencentes a classe A e o dobro na D, 15,3%.

Segundo Renato Meirelles, sócio-diretor do instituto Data Popular, “a democratização do ensino superior promoverá profundas mudanças na estrutura de consumo e renda no Brasil”.

Fonte: Brasil Econômico

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email