Cassi, votação da proposta será de 17 a 27 de maio

por Paulo Malerba em 08/05/2019

Começa no dia 17/05, sexta-feira, a votação da nova proposta para a Cassi, os associados poderão votar pela internet, aplicativo, SISBB e terminais eletrônicos. Contraf e sindicatos indicam voto SIM

Ao contrário da proposta anterior, rejeitada pelo corpo social, a atual votação acontece mediante uma negociação entre as entidades representativas e o banco. A união de diversas entidades, lideradas pela Contraf/CUT, levou o BB a aumentar sua participação com o plano de saúde.

Pela atual proposta os associados contribuirão com 4% sobre os salários, o BB 4,5%. Pelas regras da CGPAR23 é obrigatória a cobrança por dependentes e a negociação garantiu que essa cobrança será de acordo com um percentual do salário, tanto para os funcionários da ativa quanto para os aposentados, conforme informado no quadro abaixo:

A proposta estabelece ainda um teto máximo de contribuições de 7,5% do salário.

A proporção de contribuição será mantida de 60% para o BB e 40% aos associados por meio da contribuição de 3% sobre cada dependente dos ativos e do pagamento da taxa de administração. Fica assegurada a inclusão dos novos funcionários no Plano Associados; o voto de minerva será apenas para assuntos operacionais, sem a possibilidade de alterar direitos ou estrutura de governança; por fim, o BB fará a cobertura das despesas administrativas, com contribuição de 10% calculados pelo somatório total das contribuições até 2021.

A rejeição da proposta não vai levar à abertura de novas negociações, de modo, que nesse cenário, o BB não aumentará mais seus compromissos com a Cassi.

É certo que o banco tem responsabilidade sobre a situação da Cassi, tanto pelos problemas de gestão da Caixa, adoecimento de funcionários, quanto pelo período sem reajustes salariais (entre 1997 e 2002), que deixou consequências e desequilíbrios financeiros até hoje. Não há nenhuma lei no Brasil que garanta plano de saúde aos seus empregados. Foi a luta de gerações que assegurou que tivéssemos uma convenção coletiva nacional para os bancários com direito ao plano de saúde e no caso do BB foi essa luta que fez com que o banco assinasse o estatuto da Cassi que o obriga a cumprir para com seus funcionários.

Pela importância de equilibrar as finanças da Cassi, pela sustentabilidade do plano e pelo processo de negociação ter sido construído e levado ao limite, recomendamos o voto SIM.

Material informativo em formato PDF: O Espelho

Fonte: Seeb Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *