Campanha Nacional 2010: bancários discutem assédio moral, saúde e segurança

O Comando Nacional dos Bancários continua reunido com representantes da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) desde a manhã desta quinta-feira, 2/9. Na reunião de hoje, continuam as negociações sobre assédio moral, mas dois novos temas também foram inclusos, saúde e segurança bancária. 

As discussões de saúde, de fato, já haviam começado, já que assédio moral é uma das maiores causas de adoecimento do trabalhador bancário. Na negociação de hoje, o assunto foi estendido a metas abusivas, que é a principal causa do assédio moral. Na cobrança do cumprimento das metas, sem levar em consideração estrutura, número de funcionários, localização e o público da agência, o gerente muitas vezes extrapola no uso da autoridade, pressionando o bancário para vender cada vez mais e promovendo competição entre os funcionários. Esse ambiente altamente estressante é responsável por diversas doenças nos trabalhadores, como depressão, ansiedade, pressão alta e diversas outras doenças causadas pela pressão excessiva. 

Outro ponto que está sendo discutido é segurança bancária. Apenas no primeiro semestre de 2010, 11 pessoas foram assassinadas durante assaltos a agências. Esse número provavelmente é maior, porém não existe um levantamento das ocorrências em estabelecimentos, como lotéricas e supermercados, que também prestam serviços bancários. Os bancários exigem assistência médica e psicológica total para trabalhadores que forem vítimas de assalto, manutenção das portas de segurança, proibição do porte das chaves dos cofres e de transporte de numerário por bancários, entre outras reivindicações.

  

Principais Reivindicações de Saúde
• Implantação de instrumento de prevenção ao assédio moral, com acompanhamento do Sindicato
• Declaração explicita contra qualquer ato de assédio moral 
• Criação de canais para denúncias com preservação da identidade do denunciante, com prazo para apuração e solução dos problemas 
• Fim das metas abusivas e fim das metas para os caixas
• Participação dos trabalhadores na definição das metas, que devem levar em conta o porte da agência, o número de empregados, o perfil econômico local etc. 
• Metas coletivas e não individualizadas 
• Manutenção de direitos como VR, VA e PLR para afastados
• Irredutibilidade do salário para os afastados por licença médica e manutenção da função quando do retorno ao trabalho
 
Principais reivindicações de segurança 
• Proibição do porte das chaves dos cofres e de transporte de numerário por bancários 
• Estabilidade provisória no emprego e pagamento de indenização para vítimas de assaltos ou seqüestros 
• Assistência médica e psicológica total, inclusive com o pagamento de medicamentos, para vítimas de assaltos  
• Emissão de Comunicação de Acidente Trabalho (CAT) para todas as ocorrências 
• Registro do Boletim de Ocorrência em casos de assaltos
• Acesso às estatísticas de assalto e seqüestro de bancário
• Manutenção das portas de segurança e implementação onde não há

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email