CAIXA: SINDICATO E ENTIDADES DE REPRESENTAÇÃO REPUDIAM DISSIDIO

Na sexta-feira, dia 16 de outubro, apesar da instauração do dissídio, a Caixa não obteve sucesso no seu pedido de abusividade da greve e da determinação de volta ao trabalho, tendo em vista o indeferimento do TST para a liminar da empresa. Audiência de conciliação e instrução foi agendada para quarta-feira desta semana, dia 21 de outubro, às 9 horas, em Brasília (DF).

Esse procedimento é praxe nos processos de dissídio coletivo, quando as partes sentam-se à mesa de negociação junto com o ministro-instrutor e tentam chegar a um acordo. Se não houver entendimento, ou em caso de rejeição de eventual proposta formulada pelo TST, o processo será encaminhado para um relator sorteado, a quem caberá examinar o tema objeto do dissídio e designar data para julgamento pela Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC). O julgamento, no entanto, só poderá ocorrer caso haja concordância das partes envolvidas.

Seja como for, O sIndicato dos Bancários de Jundiaí, a Contraf/CUT e o Comando Nacional dos Bancários repudiam a atitude da Caixa de recorrer à Justiça do Trabalho e reafirmam disposição de continuar buscando entendimento em mesa de negociação. O movimento sindical bancário sempre foi contrário à interferência do TST nas negociações coletivas, por acreditar que o processo de diálogo é o melhor caminho para resolver todos os conflitos.

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email