Caixa mantém padrões de prudência financeira, diz superintendente

O superintendente nacional de Administração de Risco Corporativo da Caixa Econômica, Paulo Henrique Rodrigues Costa, afirmou, nesta quarta-feira, na Câmara, que a instituição não corre o risco de ser desenquadrada dos parâmetros mínimos de prudência financeira caso os atos realizados sob as regras da Medida Provisória 470/09 sejam cancelados.

A MP autorizou a concessão pela União de crédito adicional de R$ 6 bilhões em títulos públicos para a Caixa aumentar seu capital de referência e viabilizar novas operações de crédito.

O texto foi aprovado pela Câmara em dezembro do ano passado, mas os senadores não votaram no prazo e a MP acabou perdendo a eficácia em março deste ano. Uma comissão mista do Congresso discute agora um projeto de decreto legislativo para disciplinar as relações jurídicas feitas durante a vigência da medida.

Solução para o impasse
“Estamos atuando junto ao grupo para elaborar uma solução para o impasse, mas é certo que não haverá qualquer risco para a Caixa ou para as pessoas que tomaram algum financiamento no período em que a MP vigorou”, afirmou Costa. Ele participou de audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio sobre o assunto.

Os parâmetros aos quais ele se refere são estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e levam em consideração vários indicadores de eficiência administrativa, retorno financeiro e índice de mobilização.

Durante a audiência, o superintendente foi questionado pelo presidente da comissão, deputado Dr. Ubiali (PSB-SP), se a concessão do crédito seria sintoma de alguma dificuldade financeira da instituição. Segundo Costa, a preocupação não faz sentido e os R$ 6 bilhões serviram para “ampliar a capacidade operacional da Caixa para atender a forte demanda por empréstimos e financiamentos e permitir a contratação de crédito da Caixa com estados e municípios na área de infraestrutura, especialmente em saneamento básico”.

Para dar uma ideia do quanto a concessão de crédito da Caixa cresceu nos últimos anos, o superintendente informou que o estoque dos créditos concedidos para habitação aumentou de aproximadamente R$ 17 bilhões em 2003 para cerca de R$ 70 bilhões no ano passado.


Fonte: Agência Câmara

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email