Sindicato de Jundiaí e região protesta contra demissões na pandemia. Agências foram paralisadas na manhã desta quinta (29)

Bancos descumprem compromisso assumido publicamente em março. Em Jundiaí, agências da região central ficaram paralisadas até às onze da manhã. Só na região, já são 11 demissões.

Bancários de todo o país denunciaram à população, na manhã desta quinta-feira (29), as demissões promovidas pelos três maiores bancos privados no país: Santander, Bradesco e Itaú.

O protesto – que ocupou também as redes sociais com a hastag #QuemLucraNãoDemite – fez parte do Dia Nacional de Luta contra Demissões nos Bancos e em Defesa dos Bancos Públicos, e contou com atos por todo o país.

Em Jundiaí , o Sindicato dos Bancários paralisou agências dos três bancos privados na região central da cidade.

Bradesco na mira de trabalhadores e sindicatos

Até o momento, foram mais de 1 mil desligamentos no Santander, outras 427 demissões no Bradesco e 400 no Itaú. Com isso, os três descumprem um compromisso assumido publicamente em março, o de não demitir durante a pandemia.

E apesar do lucro alcançado por essas instituições financeiras mesmo na crise – juntos, os três bancos lucraram R$ 21,7 bilhões no primeiro semestre –, contribuem com o aumento do nível de desemprego no Brasil.

”Na região já foram 11 trabalhadores que perderam seus empregos”, conta Douglas Yamagata, secretário geral do Sindicato. As agências foram paralisadas até as onze horas da manhã. ”Nosso descontentamento não é só por conta das demissões. No caso do Bradesco, o banco tem tirado caixas de várias agências, prejudicando também toda a população”.

Paulo Malerba, presidente do Sindicato, lembra que é inadmissível tantos trabalhadores serem demitidos em plena pandemia com bancos que têm lucros bilionários e que os clientes também são afetados com essa postura bruta dos bancos. ”Cada vez o atendimento é mais precarizado porque faltam funcionários. É um sofrimento para os clientes também. A lógica é só a do lucro. Por isso precisamos continuar protestando pra mudar essa lógica”, disse.

O tuitaço desta quinta-feira 15 também foi intenso em todo o país com a hastag

#QuemLucraNãoDemite

Itaú do calçadão ficou parado até onze horas.
Santander é um dos que mais tem demitido no país.

fontes: Seeb Jundiaí e Seeb SP

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email