ATUALIZE O SEU CADASTRO

Bancários conquistam cláusulas de combate ao assédio moral

Bancários conquistam cláusulas de combate ao assédio moral      

A segunda rodada de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), ocorrida nesta terça-feira (02), foi marcada por uma conquista importante à categoria bancária. Depois de muitos anos de luta, os trabalhadores do ramo financeiro finalmente garantiam a inclusão de uma cláusula na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) que busca combater a prática de assédio moral nos bancos.

 

Dentre as diretrizes apresentadas pelos representantes dos bancários para a construção de uma Política Permanente de Combate Assédio Moral estão: a criação de um manual de conduta a ser debatido banco a banco, a implementação de um canal de denúncia com a participação do movimento sindical, o estabelecimento de prazo de até 60 dias para a solução de conflitos, a realização de cursos de treinamento específicos sobre o tema e a aplicação de critérios que levem em consideração as boas práticas interpessoais para a promoção.

“O movimento sindical bancário vem há anos denunciando a prática de assédio moral no cotidiano da atividade bancária, mas os banqueiros sempre negaram essa política de gestão. O estabelecimento dessas cláusulas mostra, portanto, que os banqueiros finalmente admitiram a existência dessa prática danosa aos trabalhadores”, avalia Sebastião Geraldo Cardozo, presidente da FETEC/CUT-SP.

A redação final das claúsulas sobre assédio moral acontecerá no dia 08 de setembro. No mesmo dia, serão debatidas as temáticas sobre saúde e condições de trabalho, segurança bancária e igualdade de oportunidades. Na terça-feira (09), as negociações prosseguem com os debates sobre emprego, itens sociais e cláusulas renováveis

Compartilhe!