Após um ano de negociações, bancários conquistam Novo PAC no Itaú

Um ano depois do início das negociações, os bancários e Itaú chegaram a um entendimento que garante uma alternativa ao Plano de Aposentadoria Complementar (PAC) atual. “A proposta contém avanços importantes e será levada para apreciação em seminários regionais com os funcionários do banco”, afirma o presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro.

Segundo o diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo e conselheiro deliberativo eleito da Fundação Itaubanco, André Luís Rodrigues, o Novo PAC atende praticamente todas as reivindicações do Sindicato e dos participantes e é destinado aos que já participam do PAC atual.

“Conquistamos avanços significativos nesse novo modelo, que terá um desenho mais atraente para os bancários participantes. A adesão ao Novo PAC será opcional e traz uma série de melhorias que permitirá ao funcionário uma aposentadoria mais digna a partir de agora”, explica André.

O novo plano foi aprovado por unanimidade nos conselhos da Fundação Itaubanco e foi discutido em reunião na Contraf-CUT com representantes das federações e sindicatos.

O Novo PAC também foi aprovado nas instâncias da Secretaria de Previdência Complementar (SPC), em Brasília. As orientações sobre o Novo PAC e as datas de migração e simulação serão divulgadas em breve.

A luta continua

Apesar dos avanços conquistados com o Novo PAC, André ressalta que a luta dos bancários está longe de terminar. Ele destaca que muitos bancários do Itaú Unibanco ainda não têm nenhum plano de aposentadoria fechado, que é o mais seguro e que permite maior participação dos funcionários.

“O grande desafio do Sindicato e dos representantes eleitos para os Conselhos da Fundação é garantir a todos os bancários do Itaú Unibanco um fundo fechado de previdência”, afirma André, acrescentando que outro desafio é por fim ao benefício “zero” existente no PAC atual, que, na opinião dele, “é uma aberração”.

Veja os principais pontos do Novo PAC:

- Individualização das reservas para que o participante acompanhe melhor seus recursos

- Criação do mecanismo de pensão, hoje inexistente no PAC

- Além da entrada dos recursos individualizados do PAC atual, o banco fará novas contribuições na base de 1% da folha de pagamento dos migrantes

- Possibilidade de o participante fazer contribuições ao fundo para incrementar seu saldo individual

- Múltiplas formas de pagamento do benefício na época da concessão

- Portabilidade dos recursos do Novo PAC para outro fundo em caso de desligamento da empresa

- Abertura do Novo PAC a todos os participantes da ativa que estão
inscritos no PAC atual (fechado desde 2002), autopatrocinados e os
que estão em situação de BPD (Benefício Proporcional Diferido)

- Os participantes poderão simular sua situação atual e no Novo PAC para escolher a situação mais confortável em termos de renda e benefícios

- Os que optarem por permanecer no PAC atual terão seus
complementos garantidos pela reserva ou pela parte expressiva do superávit que permanecerá no fundo atual para proteger os inativos


Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo

Compartilhe!