Apcef/SP entrega relatório de consulta aos empregados sobre a Verocard à Caixa

Existiam diferenças significativas nas especificações entre os editais da Câmara e da Caixa, justamente nos pontos apontados na consulta realizada pela Apcef/SP

Dirigentes da Apcef/SP, do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, da Fetec-CUT/SP e da Feeb/SP-MS reuniram-se com representantes da Geber e da Gipes nesta quinta-feira (10/6) para entregar o relatório com os resultados da consulta realizada pelas entidades sobre a Verocard.

A consulta foi realizada entre 20 de abril e 21 de maio por conta das muitas reclamações desde a implantação do cartão refeição e alimentação da Verocard para os empregados da Caixa.

Foram consultadas 4.198 pessoas. Deste total, 72% relataram problemas para utilização do benefício e 97% afirmaram que não querem a renovação do contrato com a Verocard.

“Como o contrato tem mais dois meses de vigência, solicitamos que a Caixa adeque as exigências e abra novo processo licitatório, buscando resolver os principais problemas apontados pelos empregados, entre eles, a inclusão da bandeira em aplicativos de entrega e o aumento da rede credenciada”, explicou a diretora da Apcef/SP, Vivian Carla de Sá.

Representantes da Geber afirmaram que o número de reclamações na Caixa tem diminuído e, por isso, há análises para prorrogação do contrato com a Verocard, sem nova licitação. De acordo com os representantes do banco público, a empresa está cumprindo o que foi acordado no processo licitatório. “Nosso entendimento é bem diferente, o que foi comprovado pela consulta. Entendemos que as pessoas estejam, sim, registrando menos reclamações, mas isto porque aguardam o fim do contrato para a contratação de outra empresa, que atenda às necessidades dos trabalhadores”, disse a diretora da Apcef/SP.

Diante do que foi apresentado pelos representantes dos empregados, a Geber levantou preocupação sobre o prazo para um novo processo licitatório, que costuma ser maior que dois meses, o que poderia inviabilizar a solução.

Uma nova reunião deve ser agendada o mais rápido possível, com a presença dos responsáveis pela licitação na Caixa a fim de encontrar uma solução, com o compromisso da Geber de analisar todas as possibilidades em conjunto com as entidades.

Fim do contrato da Verocard com a Câmara Municipal de São Paulo – Durante a reunião, os representantes dos empregados citaram o caso da Câmara Municipal de São Paulo, que usava Verocard e fez um novo processo licitatório com alterações de especificações técnicas, o que resultou na não participação da empresa no novo pleito.

Existiam diferenças significativas nas especificações entre os editais da Câmara e da Caixa, justamente nos pontos apontados na consulta realizada pela Apcef/SP, que são, tamanho da rede credenciada e obrigatoriedade de inserção da empresa de cartões em aplicativos de entrega.

A Câmara Municipal de São Paulo, por exemplo, incluiu em edital recente que a empresa contratada deverá comprovar, no mínimo, 7 mil estabelecimentos credenciados e ativos no município de São Paulo. No edital da Caixa, a quantidade mínima de estabelecimento credenciados no município de São Paulo era de 542 estabelecimentos.

Também no edital da Câmara Municipal de São Paulo está previsto que a empresa concorrente terá de declarar que possui convênio ou que o firmará no prazo máximo de seis meses, para pagamento em site ou aplicativos mobile em no mínimo uma das empresas de aplicativos de entrega de refeições prontas, tais como: Ifood, Rappi, ou Uber Eats.

No edital da Caixa, sequer havia esta informação.

fonte APCEF/SP

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email