Unidade e irreverência marcam lançamento da Campanha 2009 no Estado de SP

Ao som de maracatu, com faixas, bandeiras e cartazes, os bancários da base da FETEC/CUT-SP anunciaram, na manhã desta segunda-feira (10), o início da Campanha Nacional 2009.

 

O lançamento estadual ocorreu no centro da capital paulista, com participação de representantes sindicais de toda a base da FETEC SP, chamando a atenção da população sobre as principais reivindicações da categoria, e com denúncias sobre os abusos praticados pelos bancos contra os trabalhadores e a sociedade brasileira.

 

Após concentração na Praça do Patriarca, logo no início da manhã, os manifestantes seguiram em passeata pela Avenida Brigadeiro Luis Antonio até a Avenida Paulista, onde foi realizado ato em frente à matriz do Banco Real, local de trabalho de Fábio Barbosa, atual presidente da Fenaban.

 

Durante o ato, foram apresentados os personagens criados especialmente para esta campanha. De um lado o Super Bancário e aliados. De outro, os vilões das metas abusivas, do assédio moral, das elevadas tarifas e juros extorsivos, dentre outros. “Foi uma atividade bastante humorada, cujo mérito foi mexer com o bancário e mostrar para a população a verdadeira face dos banqueiros”, considerou o presidente do Sindicato dos Bancários de Catanduva e Região, Luiz Cesar de Freitas.

 

“Neste primeiro contato da campanha com a população, percebemos que acertamos no mote de denunciar os abusos dos banqueiros”, afirmou a presidente do Seeb/Limeira, Dalva Radeschi. “Durante o trajeto, as pessoas nos paravam para concordar com a faixa que trazia a inscrição 'Os bancos abusam'. Então, ficou evidente de que essa campanha vai dar liga, já que o abuso dos bancos é geral contra os bancários e a população”.

 

Para o presidente do Seeb/Bragança, Sérgio Preto, esse foi um bom começo para a Campanha 2009. “Conseguimos fazer uma boa movimentação com participação de toda a base da FETEC SP. Acredito que, com isso, mostraremos aos banqueiros a força da categoria para lutar pelos direitos”.

 

A opinião é compartilhada pelo representante do Seeb/Taubaté, Valdir Machado de Oliveira. “A participação maciça dos sindicatos neste lançamento nos confere maior unidade frente ao embate com os banqueiros”, sintetiza.

 

Na avaliação do diretor do Seeb/Assis, Clóvis Antonio da Silva, a campanha deste ano tende a enfrentar maiores dificuldades. “Isso exigirá de nós esforço redobrado”.

 

Para o presidente do Seeb/Araraquara, Gilberto Paulilo, o lançamento estadual trouxe a energia necessária para um bom início dessa campanha. “As dificuldades existem, mas são elas que nos conferem a disposição para lutar por nossos ideais. Com a nossa unidade, acredito que seremos fortes para quebrarmos a resistência dos banqueiros”.

 

“A unidade nesta atividade é determinante para cobrarmos maior responsabilidade dos bancos que tanto fazem adoecer os seus trabalhadores”, afirma a diretora de Saúde do Seeb/Guarulhos, Fátima Ribeiro dos Santos.

 

“Esse lançamento mostrou que o bancário quer lavar a alma depois de um ano de intensos esforços em prol do crescimento dos bancos. Esse é o momento de cobrarmos justiça”, sintetiza José Carlos Roberto, mais conhecido como Café, diretor do Seeb/Prudente.

 

“Este foi um bom começo para uma campanha que pode ser vitoriosa. A crise, como todos sabem, passou longe dos bancos. Por isso vamos bater firme na construção de uma nova forma de cálculo da PLR, que seja efetivamente capaz de socializar o lucro do setor”, destaca o presidente do Seeb/Vale do Ribeira, Roberto Fouto.

 

“A tese desta campanha é lutar com afinco pela garantia de emprego, sobretudo frente às fusões atualmente em curso. Por outro lado também iremos pressionar para debatermos plano de carreira, fim das metas abusivas e das práticas de assédio moral”, antecipa o presidente do Seeb/SP, Luiz Cláudio Marcolino.

 

Para a dirigente do Seeb/ABC, Inez Galardinovic, apesar de toda a choradeira dos bancos, são boas as perspectivas para essa campanha. “Mesmo com a queda na rentabilidade, os bancos continuam faturando alto. Por isso, eles podem garantir emprego e melhorar as condições de salário e de trabalho de seus funcionários”.

 

“Não venha com conversa fiada”. Esse é o recado do presidente do Seeb/Jundiaí, Paulo S. Mendonça, aos banqueiros. De acordo com o dirigente, apesar das dificuldades conjunturais, a Campanha 2009 tem boas perspectivas ao reafirmar que os 'bancos podem pagar”.

 

“Temos a consciência de que os banqueiros irão emplacar um jogo duro. Por isso, a importância de nos mantermos unidos durante toda a campanha nacional”, avisa o diretor do Seeb/Mogi das Cruzes, André Rabelo.

 

A idéia também é defendida pelo diretor cutista do Seeb/Bauru, Tadeu Aparecido Pereira Barbosa. “Garantir a unidade dos bancários de Bauru ao conjunto dos bancários do país será determinante para conferir maior poder à categoria”.

 

Para o presidente do Seeb/Barretos e Região, Marco Antonio Pereira, essa é uma campanha que se inicia com fôlego. “Acredito que vai dar gás e que este lançamento estadual irá impactar positivamente os lançamentos regionais que serão realizados nas próximas semanas e, assim, garantir a efetiva participação do bancário de forma a construirmos uma campanha vitoriosa”, complementa o dirigente.

 

Fonte: Lucimar Cruz Beraldo (Fetec/CUT)

 

 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email