Trabalho semi-escravo em agência do BB de Jarinu

Por Álvaro Pires da Silva

A “Operação BB Limpo” esteve percorrendo mais  agências da base do sindicato de Jundiaí, nesta terça-feira, 31 de agosto. O objetivo das visitas visa levar informação aos bancários, além de debater soluções para os problemas e fiscalizar as condições de trabalho, buscando sempre levar as demandas encontradas às instâncias responsáveis para que  sejam solucionadas

Em Jarinu, na agência do BB, os diretores Álvaro e Silvio depararam-se com um caso espantoso: o único caixa do local não tem horário de lanche. Questionado como fazia para alimentar-se ou ir ao banheiro, disse aos diretores que raramente se alimenta e quando o faz é somente nos momentos quando não há clientes para atender, sem horário definido. Quanto à ida ao banheiro, isso tem que ser feito de maneira furtiva e também nos momentos em que não há clientes. Esta informação foi confirmada pelos demais funcionários que acrescentaram  que é difícil não haver cliente para ser atendido, principalmente em se tratando de agência do BB com um único caixa!

Essa situação é no mínimo vexatória para a imagem de um banco, principalmente em se tratando do Banco do Brasil. “Isso é mais um exemplo triste do descaso dos gestores da empresa com as condições de trabalho de seus empregados e com o atendimento aos clientes”, desabafa Silvio.

O sindicato está oficializando os gestores regionais para que se proceda urgentemente a colocação de mais um guichê de caixa e que se nomeie mais um caixa, ainda que eventual, para que a agência não funcione mais nestas condições.

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email