Sindicato dos Bancários de Jundiaí distribui picolés em protesto no Bradesco

A agência do Bradesco de Francisco Morato, conhecida como “a agência do inferno”, foi palco de manifestação na manhã desta segunda-feira, 12/12. O apelido singular deve-se às péssimas condições de trabalho e de atendimento à população, motivadas pela precariedade do sistema de ar condicionado, da estrutura reduzida e da falta de funcionários da unidade.

Por esse motivo, o Sindicato dos Bancários de Jundiaí, ao lado de funcionários e clientes, fez atividade na unidade. O protesto contou com a distribuição de panfletos e picolés, e realização de abaixo-assinado cobrando melhorias na infra-estrutura, inclusive com a transferência da agência para um estabelecimento mais amplo, com funcionamento adequado do ar condicionado, e contratação de mais funcionários.

“Há apenas uma agência do Bradesco para atender a toda a população do município, que hoje reúne 250 mil habitantes. Não bastasse a falta de estrutura e de funcionários, o sistema de ar condicionado está sempre com problemas. Deste modo, com a proximidade do verão, as reclamações, que já são muitas durante todo o ano, quadruplicam”, relata Douglas Yamagata, diretor do Seeb/Jundiaí.

Durante a atividade, o sindicato coletou cerca de 1 mil assinaturas, as quais serão encaminhadas ao gerente regional do Bradesco, Sérgio Guimarães; ao diretor de relações sindicais, Geraldo Grando; ao diretor de RH, José Luiz Rodrigues Bueno; e ao presidente da instituição, Luiz Carlos Trabuco. “Esperamos reverter essa situação o mais rápido possível e, assim, melhorar as condições de trabalho dos bancários e o atendimento à população”, afirma Yamagata.

Fonte: Fetec SP

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email