Sindicato discute segurança e desvio de função com Bradesco no Ministério do Trabalho

 

No último dia 04 de abril, o Sindicato participou de uma “mesa redonda” com o Bradesco na Gerência Regional do Ministério do Trabalho em Jundiaí para tratar de assuntos referentes à segurança bancária e desvios de funções.

Estiveram presentes os diretores do Sindicato, Douglas Yamagata, Antonio Cortezani, Sandro Bacan, Paulo Mendonça, além da advogada do Sindicato, Dra. Aparecida Rodrigues das Neves. O Bradesco esteve representado pelo Gerente Regional, Lázaro Amorim; o Gerente de Agência, Waldir Roberto de Faria; o Supervisor Administrativo, Ricardo Pavani Zago; a advogada, Dra. Graziela Ribeiro Silva; e a Gerente de Relações Sindicais, Sílvia Eduara Cavalheiro. Coordenou a reunião, o Gerente Regional do Ministério do Trabalho, Sr. Carlos Alberto de Oliveira.

Devido aos sequestros de bancários e familiares, já em junho de 2012 foi realizada uma reunião para tratar do problema, no qual o Bradesco se comprometeu a realizar reuniões nas agências para reforçar a questão de segurança. Naquela oportunidade, o banco afirmou que as demissões por justa causa foram decorrentes de descumprimento de normas de segurança e que todos os funcionários têm ciência destas normas. No entanto, foi detectado que as reuniões nas agências para reforçar a orientação sobre segurança não foram realizadas, sendo que o Bradesco não comprovou a realização destas reuniões. Desta forma, ficou acordado que o banco  realizará essas reuniões no prazo de 60 dias, inclusive com ata confirmando a participação dos funcionários. O banco ficou de dar resposta sobre a possibilidade dos diretores do sindicato participarem destas reuniões.

O Sindicato também encaminhou denúncias de que diversos funcionários que estão registrados como cargos de caixa têm exercido cargos de gerência e supervisão sem receber salário por estes cargos, podendo caracterizar desvio de função. Os representantes do Bradesco disseram desconhecer esta situação. O banco se comprometeu a realizar estes levantamentos e ficou de confirmar o prazo para entrega do mesmo.

No último mês de março, o Sindicato realizou paralisação na agência Centro em Jundiaí, onde foi abordado estes problemas.

“É inadmissível que um banco que diz se preocupar tanto com a responsabilidade social, inclusive se empenhando para certificação SA 8000, possa apresentar tais demandas de segurança e remuneração. Esperamos que o Bradesco cumpra com as exigências da reunião e as situações sejam corrigidas o mais breve possível.” – comenta Sandro Bacan, diretor do Sindicato.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Jundiaí e Região

 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email