Plenária da Fetec-SP conclui preparação do 3º Congresso da Contraf-CUT

 

Plenária da Fetec-SP conclui preparação do 3º Congresso da Contraf-CUT

 
Crédito: Contraf-CUT
Contraf-CUT Carlos Cordeiro apresenta temas do 3º Congresso da Contraf-CUT

A plenária da Fetec-CUT/SP concluiu nesta sexta-feira (23) a etapa de pré-congressos realizada em todas as federações filiadas a preparação ao 3º Congresso da Contraf-CUT, que ocorre de 30 de março a 1º de abril, em Guarulhos (SP). O evento foi promovido no auditório do Sindicato dos Bancários de São Paulo, com a participação de delegados e dirigentes dos sindicatos filiados no Estado.

“Essa iniciativa pioneira de realizar um processo de debater em todo país foi muito positivo, pois oportunizou a participação de centenas de dirigentes sindicais, aprofundando a democracia e incorporando dezenas de contribuições na construção do texto-base da Direção Nacional, que norteará as discussões e as resoluções do 3º Congresso”, avaliou Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

Anteriormente, ocorreram pré-congressos em Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Belém e Recife.

Transformar a sociedade

“Não estamos fazendo uma pauta de reivindicações, mas definindo o planejamento da confederação para os próximos três anos, buscando organizar o movimento para garantir novas conquistas e avanços, na perspectiva de aproveitar este momento histórico que vivemos para transformar crescimento econômico em desenvolvimento e mudar a sociedade”, destacou o dirigente da Contraf-CUT.

Cordeiro apontou a importância do 3º Congresso e refletiu sobre o papel dos dirigentes sindicais. “Avançamos muito nos últimos anos, com aumento real, elevação do piso, PLR maior e conquistas sociais, mas precisamos mudar a ação sindical no sentido de construir também alternativas para transformar a sociedade”, frisou.

Ele defendeu a necessidade do movimento sindical pautar temas como a reforma política, a reforma tributária e a reforma do sistema financeiro. “Precisamos ter posições e apresentá-las para os trabalhadores. Se não fizermos esses debates, não seremos referência dos trabalhadores na sociedade”, disse.

O presidente da Contraf-CUT reforçou a estratégia de lutar por emprego decente. “Para tanto, precisamos conquistar estabilidade, não ter risco de morte nem adoecer no trabalho, assegurar remuneração e aposentadoria digna, sem discriminações”, frisou. “Por que o piso do Santander no Brasil é menos do que na Argentina, no Chile e no Uruguai”, questionou.

Ampliar a participação da categoria

Para Cordeiro, é preciso buscar cada vez mais a participação da categoria, especialmente os jovens, e garantir a valorização dos dirigentes sindicais. Ele chamou a atenção para questões como o combate à terceirização, à precarização do trabalho e aos correspondentes bancários. “Queremos a universalização dos serviços bancários, com o acesso a conta corrente para todos os brasileiros, com qualidade de atendimento, segurança, orientação financeira e sigilo bancário protegido”, acentuou.

“Precisamos intensificar a formação dos dirigentes sindicais para disputar os rumos da sociedade, investindo na sua especialização em temas como saúde, terceirização, sistema financeiro e igualdade de oportunidades, dentre outros”, apontou.

“Também precisamos organizar encontros para os que não estão liberados para as entidades sindicais e são importantes para a luta dos trabalhadores”, afirmou. Ele ainda enfatizou a importância de atuar na CUT para fortalecer políticas públicas e pautar temas para abordar o ano inteiro, a exemplo da Campanha da Fraternidade. “Precisamos exercer a solidariedade de classe e o diálogo com a sociedade”, concluiu.

Pauta do 3º Congresso

O secretário de finanças da Contraf-CUT, Roberto Von Der Osten, fez uma apresentação da pauta do 3º Congresso:

1. Conjuntura Nacional e Internacional

2. Balanço da gestão 2009-2012

3. Estratégia da Contraf-CUT

– Disputar os rumos da sociedade
– Lutar por trabalho decente
– Definir os rumos do movimento sindical
– Atualizar o projeto político e organizativo da Contraf
– Atualizar o modelo de negociação da Contraf
– Construir a autonomia financeira da Contraf
– Construir alianças sociais no mundo (política internacional)

4. Eleição da direção para o mandato 2012-2015.

Desafios

O secretário-geral da Contraf-CUT, Marcel Barros, destacou a realização do Seminário Internacional de Regulamentação do Sistema Financeiro, que ocorre ao longo do dia 30, antes da abertura do 3º Congresso, que contará com a participação da UNI Finanças e de uma delegação de vários países. “Trata-se de um tema que está no centro do debate diante da crise financeira internacional”, frisou.

A presidenta do Sindicato dos Bancários de Paulo, Juvandia Moreira, disse que um dos desafios da Contraf-CUT é representar o conjunto dos trabalhadores do ramo financeiro, buscando encontrar formas de organização e mobilização para conquistar melhores salários e condições de trabalho.

Fonte: Contraf-CUT

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email