No primeiro dia de greve, BB, CEF e Bradesco paralisam suas atividades.

No primeiro dia de greve, houve paralisação de quase 100% das agências da Caixa e do Banco do Brasil em toda a região. Não houve dificuldades em paralisar as agências no bancos federais.

“A perspectiva é que amanhã tenhamos todas as agências paralisadas nos bancos federais, cuja adesão foi bastante forte. Temos consciência que existem grandes problemas a serem resolvidos tanto no BB como na Caixa e que precisam ser solucionados, principalmente relacionados à contratação de mais funcionários, saúde e condições de trabalho”. – comenta Paulo Santos Mendonça, presidente do Sindicato.

Bradesco

Nos bancos privados a estratégia tomada foi diferenciada, onde só uma agência do Bradesco foi paralisada em toda a região.

A agência escolhida foi a do Bradesco Centro em Jundiaí, inaugurando a Campanha Nacional 2011 nos bancos privados na região de Jundiaí, onde houve adesão de mais de 90% dos funcionários da agência e reunião com diretores do Sindicato para explicar o motivo da paralisação exclusiva.

“Ano passado, por uma questão de calendário, não houve paralisação nas agências do Bradesco. Este ano, resolvemos iniciar a Campanha paralisando as atividades no Bradesco Centro em Jundiaí por se tratar da maior agência do banco na região.” – comenta Gerson Carlos Pereira, diretor do Sindicato e funcionário do Bradesco.

Além de ser o banco mais truculento nas paralisações, o Bradesco tem sérios problemas internos e que já são contestadas pelos Sindicatos há tempos.

“A paralisação exclusiva no dia de hoje não foca apenas a questão salarial. Hoje o clima organizacional é sufocante com as metas abusivas e o assédio moral. É necessário contratação de mais funcionários em todas as agências. Além disso, o Bradesco é o único banco privado de grande porte que não paga auxílio educação e nem remuneração variável aos seus funcionários. É preciso contratar mais para melhorar o serviço interno e o atendimento à toda população. Não é desvalorizando os funcionários que o Bradesco irá reconquistar a liderança nos bancos privados” – ressalta Douglas Yamagata, diretor do Sindicato e funcionário do Bradesco.

A perspectiva é que a greve seja ampliada no dia de amanhã com a adesão de mais funcionários e agências.

 

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Toda a categoria, mesmo quem não é sindicalizado, pode participar e indicar as prioridades para a Campanha Nacional até o dia 03 de junho. Participe!