Pesquisar
Close this search box.
Siga nossas Redes

MAIS FIDELITY!

FETEC SP e Sindicatos mobilizam trabalhadores da Fidelity PDF Imprimir E-mail
FETEC/CUT-SP   
23 /09 / 2008

A Federação dos Bancários da CUT do Estado de São Paulo (FETEC/CUT-SP) vem realizando com os Sindicatos de São Paulo, ABC e Jundiaí uma série de atividades de mobilização junto aos trabalhadores da Fidelity, empresa terceirizada que presta serviço bancário para o Bradesco, Santander e Real.

Os motivos que levam às atuais mobilizações continuam sendo os mesmos: indignação, maus tratos, péssimas condições de trabalho e baíxissimos salários. “As terceirizadas expõem seus empregados a condições degradantes de trabalho, pagam baixos salários, forçam jornadas de trabalho de até 16 horas sem pagar horas extras corretamente, em muitos casos não registram seus funcionários e negam a eles os direitos da categoria, conquistados com muita luta”, comenta Pedro Sardi, secretário-geral da FETEC/CUT-SP.

Na última sexta-feira, 19 de setembro, o Sindicato dos Bancários de Jundiaí e Região realizou um ato na unidade da Fidelity/Jundiaí que sensibilizou cerca de 5.000 trabalhadores na luta por valorização, remuneração, melhores condições de trabalho entre outros. “Os desdobramentos desta atividades serão divulgados no site da Federação”, acrescenta Sardi.

Em agosto, o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região distribuiu o jornal FB Terceirizadas. A edição denunciou que a empresa desconta de seus funcionários o vale-refeição, vale-transporte e vale-alimentação no caso de faltas ao trabalho, mesmo que as faltas sejam acompanhadas de atestados e devidamente justificadas. No caso do VA, a questão é ainda mais grave: com duas faltas no mês, o funcionário perde o direito ao valor integral do vale-alimentação, que é depositado uma vez por mês. Além disso, diferentemente do que acontece com os bancários, a empresa desconta o VR e VA durante as férias de seus funcionários.

Após cobrança do Sindicato, a direção da empresa prometeu suspender todos os descontos. Mas, na prática, a Fidelity/São Paulo comunicou para seus funcionários que não haverá desconto dos benefícios em caso de faltas justificadas. Contudo, a empresa manteve o desconto do valor integral do VA no caso de duas faltas injustificadas.

Em meados de julho, o Sindicato dos Bancários do ABC organizou a greve de dois dias dos 250 trabalhadores da Fidelity/Santo André que reivindicavam redução da jornada de trabalho de nove para oito horas, aumento do vale-refeição e o reconhecimento dos empregados como bancários.

Vale lembrar que diversas fiscalizações já foram feitas por autoridades do governo. O Ministério do Trabalho constatou que a terceirização dessas atividades é uma fraude, uma vez que tais serviços são vitais no sistema financeiro. Esses trabalhadores, apesar de não estarem visíveis para os clientes, diariamente processam milhões de documentos bancários, concretizam operações de depósito e pagamento de contas, por exemplo. A maior parte das operações realizadas em caixas eletrônicos são finalizadas nas terceirizadas.

Os terceirizados trabalham para o segmento mais rico da economia, mas são explorados e muitas vezes humilhados por situações degradantes de trabalho, recebendo pelo mesmo serviço de um bancário quase a metade da sua remuneração e nenhum dos seus direitos. Isso precisa mudar”, finaliza o secretário-geral da FETEC/CUT-SP.

Leia a edição FB Tercerizadas na integra

Michele Amorim

Compartilhe!

Seu Banco

Seu Sindicato