Lucro do Santander cresce 17,5% e atinge R$ 2,071 bilhões no 1º trimestre

O Santander Brasil fechou o primeiro trimestre de 2011 com lucro líquido de R$ 2,071 bilhões, um crescimento de 17,5% sobre o mesmo período do ano passado, apoiado na expansão de financiamentos e na redução de despesas para perda com crédito. O resultado também subiu 8% em relação ao apurado no último trimestre do ano passado, de R$ 1,918 bilhão.

“Esse lucro é, acima de tudo, fruto do empenho e dedicação dos trabalhadores, que precisam ser valorizados pelo banco espanhol com maior remuneração e melhoria das condições de saúde, previdência, segurança e trabalho”, afirma o funcionário do banco e secretário de imprensa da Contraf-CUT, Ademir Wiederkehr.

“É inaceitável que os funcionários continuem submetidos à pressão de metas abusivas, muitos adoecendo, trabalhando em locais inseguros e sem um plano de cargos e salários que garanta transparência e igualdade de oportunidades na contratação, na remuneração e na ascensão profissional, enquanto os diretores e membros do Conselho de Administração ganham uma média de R$ 381 mil por mês, conforme foi aprovado por maioria na assembleia dos acionistas que destinou para eles uma remuneração global anual de R$ 283,5 milhões”, denuncia o dirigente sindical.

“Esse lucro gigantesco também permite reconhecer e saldar as dívidas do banco com os trabalhadores da ativa e aposentados, como o aporte de recursos para serviço passado do plano II do Banesprev, a correção das aposentadorias do pessoal pré-75 do ex-Banespa e o restabelecimento das condições vigentes anteriormente aos funcionários do ex-Real que eram participantes até 31 de maio de 2009 do ex-HolandaPrevi, hoje SantanderPrevi”, defende o diretor da Contraf-CUT.

Expansão do crédito

A carteira de crédito da instituição financeira totalizou R$ 164,598 bilhões no período, alta anual de 17,6 por cento, enquanto os ativos totais subiram 21,5%, para R$ 383,988 bilhões.

A carteira para pessoa física subiu 21,5%, para R$ 53,456 bilhões, enquanto o crédito a pequenas e médias empresas apresentou alta de 27,7% e o voltado a grandes companhias passou por crescimento de 13,3%.

Enquanto isso, as despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa caíram 18,4% no ano, a R$ 2,059 bilhões.

O banco informou um índice de inadimplência de operações vencidas há mais de 90 dias de 4%, queda de 1,4%l sobre os 5,4% registrados de janeiro a março de 2010.

O ganho do Santander foi divulgado um dia depois do anúncio do Bradesco, que obteve lucro líquido de R$ 2,702 bilhões no primeiro trimestre, resultado 28,5% acima do contabilizado no mesmo período do ano passado. 

Lucro mundial cai 4,8%

O resultado global teve uma queda anual de 4,8% no lucro líquido, que ficou em 2,11 bilhões de euros. O Brasil contribuiu com cerca de um quarto do resultado da instituição.

O lucro do Santander na Espanha, que representa menos que o Brasil ou Inglaterra para os negócios do banco, caiu 31% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, mas subiu 54,3% em relação ao último trimestre de 2010.


Fonte: Contraf-CUT com Valor Econômico e Folha.com

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email