IBGE E DIEESE ANUNCIAM AS MENORES TAXAS DE DESEMPREGO DA HISTÓRIA DO BRASIL.

São Paulo – A taxa de desocupação calculada pelo IBGE atingiu o menor nível da série histórica, iniciada em março de 2002, e chegou a 5,2%, caindo tanto em relação a outubro (5,8%) como na comparação com novembro do ano passado (5,7%). No ano, está acumulada em 6,1% e deverá também ser a menor de toda a série, abaixo de 2010 (6,7%). O rendimento também deverá ser o maior desde 2002. Este estudo confirma os dados apresentados pelo DIEESE, que apontaram a menor taxa de desemprego no país dos ultimos 21 anos.

O número de ocupados, estimado em 22,83 milhões, cresceu 0,7% no mês e 1,9% em 12 meses, com 431 mil vagas a mais sobre novembro de 2010. Já o total de desocupados (1,252 milhão) caiu 9,6% ante outubro e 7,9% na comparação anual, com 108 mil pessoas a menos.

Os números divulgados ratificam dados da pesquisa Seade/Dieese, embora as metodologias e universos investigados sejam diferentes. A ocupação continua crescendo, ainda que em ritmo menor, refletindo a desaceleração da atividade econômica. Em novembro de 2010, por exemplo, a alta anual foi de 3,7%, enquanto em novembro deste ano a ocupação subiu 1,9%. Nas mesmas bases de comparação, o total de desempregados caiu 20,7% e 7,9%, respectivamente.

O instituto também detecta continuidade da formalização do mercado, na comparação anual. O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado (11,157 milhões) ficou estável ante outubro e cresceu 6,8% sobre novembro de 2010, o correspondente a um acréscimo de  708 mil vagas formais.

Estimado em R$ 1.623,40 – valor mais alto para meses de novembro –, o rendimento médio dos ocupados não variou em relação a outubro e subiu 0,7% em 12 meses. A massa de rendimentos (calculada em R$ 37,4 bilhões) cresceu 0,6% no mês e 2,2% ante novembro de 2010. Na média do ano, o rendimento médio real está em R$ 1.614,99, no maior nível da série.

Entre os setores, o emprego na indústria (3,656 milhões de pessoas) recuou 1% ante outubro (37 mil a menos) e 1,4% em relação a novembro de 2010 (menos 53 mil). A construção cresceu 4,3% (73 mil a mais) e 8,8% (144 mil), respectivamente. No comércio, o nível de ocupação subiu 1,2% (51 mil) no mês e recuou 0,5% (menos 22 mil) em 12 meses.

A taxa de desemprego também atingiu o seu menor nível nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte (4,2%), Recife (5,5%), Salvador (8,4%) e São Paulo (5%). A menor, em novembro, foi registrada em Porto Alegre (3,6%). No Rio de Janeiro, recuou para 5,5%

Fonte – Rede Brasil Atual e SEEB-Jundiaí

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email