FUNCIONÁRIOS DO HSBC EXIGEM RESPEITO.

São Paulo – O Brasil é o terceiro mercado mais lucrativo do HSBC no mundo. Apesar disso, o banco inglês trata muito mal seus funcionários brasileiros. Na ULTIMA quarta-feira 21, os bancários promoveram atos de protesto  no país. Os Sindicatos participaram da manifestação em Curitiba (PR), que paralisou uma grande concentração do banco na cidade até 11h.

“Os protestos no país fazem parte da Jornada Continental de Lutas dos trabalhadores do HSBC, que será realizada em outros países da América Latina onde o grupo atua: Colômbia, Peru, Chile, Argentina, Paraguai, Uruguai e México, onde os bancários são igualmente desvalorizados”, diz o dirigente da Contraf-CUT Sérgio Siqueira, que participou do ato em Curitiba.

“Estamos nos manifestando contra o assédio moral, que é constante no banco, contra o desconto do programa próprio de participação dos lucros na PLR da categoria, contra os salários que estão abaixo do mercado, e as metas abusivas”, informa a dirigente do Sindicato dos bancários de São Paulo, Liliane Fiúza, que também esteve em Curitiba. Ela acrescenta que na capital paranaense houve mais de 600 desligamentos, grande parte desse total foram pedidos de demissão, tal o descontentamento dos funcionários com a empresa.

“Enquanto em outros bancos privados os funcionários de 25 anos de casa são premiados, o HSBC vem demitindo bancários com esse tempo de empresa. Hoje o HSBC é um dos piores bancos do sistema financeiro nacional para se trabalhar”, critica.

O mercado brasileiro, ressalta Liliane, é tão importante para o grupo que ele está transferindo sua sede da Cidade do México para São Paulo. “O país responde por quase 6% do resultado mundial do grupo, mas não recompensa seus funcionários, responsáveis por esse resultado.

Fonte = SEEB São Paulo

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email