Fique de Olho! DEMISSÕES E ECONOMUS NOSSA CAIXA

Nossa caixa: Esclarecimentos sobre demissões e Economus       

Em muitas unidades da Nossa Caixa se estabeleceu uma forte pressão sobre os aposentáveis para que providenciassem suas aposentadorias e conseqüentemente sejam demitidos. Se é verdade que existe um número razoável de aposentados que desejam sair do banco, focados exclusivamente nas verbas rescisórias, sem atentar para o impacto nas suas aposentadorias nem na assistência médica, também é verdade que muitos não querem a demissão.

Segue abaixo um roteiro de esclarecimentos a ser utilizado:

Quem será demitido?

Pela informação dada pelo presidente da Nossa Caixa, Milton Luiz de Melo Santos, serão substituídos 753 funcionários, aposentados até outubro de 2007, esse processo será gradativo e caberá a cada diretor administrar sua área. Mas o que temos verificado é que todos os aposentados, independentemente da data, são questionados sobre uma possível demissão e em várias diretorias já está decidido que serão demitidos todos os aposentados.

Como será a demissão?

Será uma demissão comum e as verbas rescisórias são as previstas pela lei - Multa sobre o FGTS (40% do valor) mais um mês de aviso prévio.

Todos receberão os 40%?

A Nossa Caixa não pagará os 40% sobre o FGTS para quem aposentou até novembro de 2006, pois entende que a decisão do STF, de que a aposentadoria não interrompe o contrato de trabalho, só vale após a decisão judicial, assim esse grupo (em torno de 180 pessoas) terá de ajuizar ações para receber. Vale lembrar que os 40% incidirão também sobre os valores referentes aos expurgos do plano de governo recuperados pelos funcionários.

Complementação do Economus

Para quem saldou: Ele terá direito ao valor saldado, corrigido pelo INPC, sobre o qual se aplica o redutor de idade de 0,5% a cada mês faltante para completar 55 anos e mais uma complementação pelo PREVMAIS conforme a opção adotada.

Para quem não saldou: Ele terá direito à complementação calculada da seguinte forma:

Salário Real de Benefício (Média dos últimos 12 salários, corrigidos pelo INPC) menos o valor do INSS multiplicado por tantos 30 avos, até o máximo de 30, de tempo de contribuição. O valor resultante terá um redutor de 6% para cada ano faltante para completar 55 anos.

Plano de saúde

O funcionário terá duas opções: Entrar no FEAS ou permanecer no PLUS.

PLUS - este plano permite manter os dependentes não preferenciais (pais, sogros e filhos maiores) mas o funcionário que optar por ele terá de pagar conforme a tabela abaixo para todos os componentes de seu grupo familiar, inclusive o titular.

Esses valores serão reajustados em junho

FEAS - Este plano não permite manter os dependentes não preferenciais, apenas o titular e seus dependentes, conjuge e filhos menores e funciona de duas maneiras:

Capital - é o plano básico da MEDIAL Saúde, o atendimento será na rede exclusiva da Medial e a internação será em enfermaria, sem direito a acompanhante e o titular não paga nada

Outras cidades - PAMC o atendimento é do mesmo padrão do PLUS mas as contribuições são diferentes. paga-se no caso de utilização de 10% a 30% do valor, conforme a faixa salarial, e o desconto será de no máximo 5% do salário, até quitar o valor.

Para os não participantes do ECONOMUS resta uma única opção, permanecer no PLUS, nas condições acima, pois o FEAS é exclusivo dos participantes.

Qualquer dúvida enviar para o e-mail: alvaropires@terra.com.br ou gijonsantos@ig.com.br 

Você também pode ligar para o Sindicato e falar com nossos diretores da Nossa Caixa - Álvaro ou Sílvio - 4521-9711. 

Jornalistas: Lucimar Cruz Beraldo e Michele Amorim


Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Toda a categoria, mesmo quem não é sindicalizado, pode participar e indicar as prioridades para a Campanha Nacional até o dia 03 de junho. Participe!