Falta pouco para ex-funcionários do BCN resgatarem recursos da extinta Fundação Francisco Conde

Em Jundiaí, Sindicato realizou reunião para informar qual será a forma de pagamento dos recursos que hoje somam R$ 129 milhões.

Pelo menos 3.900 ex-funcionários do BCN devem começar a receber recursos do fundo de pensão com o qual contribuíram e que era administrado pela Fundação Francisco Conde. Com a compra do BCN pelo Bradesco, o dinheiro ficou bloqueado e dependendo de liberação judicial.

Nesta semana a Justiça informou que os recursos serão disponibilizados. Ao todo, serão R$129 milhões a serem pagos pelos sindicatos a partir de um depósito judicial feito no Banco do Brasil. Em Jundiaí, 37 pessoas estão na lista de beneficiários.

Na noite da quarta-feira (23) o Sindicato convidou os ex-funcionários do BCN em Jundiaí para reunião sobre como será a liberação desse fundo. O advogado do Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região, Vladimir Tavares, informa que os prazos vão seguir o calendário da Justiça. “Pode levar de três a quatro meses. Não há data exata para o pagamento. Mas os cálculos já foram homologados pela justiça e os beneficiários terão o máximo de cinco anos para resgatar o dinheiro”.

Cerca de 30 advogados de vários sindicatos estão trabalhando nesse processo que ficou tramitando por duas décadas. “É importante reconhecermos a luta dos companheiros dos sindicatos que se mobilizaram para conseguir na Justiça o pagamento desse fundo, impedindo que o banco se aposse de um recurso que é dos trabalhadores”, destaca Douglas Yamagata, presidente do Sindicato em Jundiaí.

Para Gerson Pereira, diretor do Sindicato e ex-funcionário do BCN, essa é mais uma grande vitória dos bancários. “Muita gente duvidou que esse dinheiro poderia voltar para os trabalhadores. Portanto, esse momento reforça ainda mais a importância do Sindicato, que teve uma postura combativa e de solidariedade com todos os envolvidos”, disse Gerson.

Quem tem direito?

 De acordo com a decisão do Tribunal, terão direito a receber o pagamento os seguintes trabalhadores:

Trabalhadores Elegíveis ao pagamento (requisitos cumulativos):

  1. Empregados do antigo BCN + coligadas;
  2. Empregados admitidos até 31/04/1993;
  3. Empregados participantes que permaneceram no banco até 31/05/1999;
  4. Empregados que constam da listagem apresentada na ação judicial pelo Bradesco.

A forma de pagamento tem como critério básico o tempo de contribuição de cada empregado. Sendo assim, cada mês de contribuição corresponde a uma cota. O valor depositado pelo Bradesco será rateado da seguinte forma:

O rateio será dividido em duas partes:

1ª metade – Grupo 1

  1. Empregados que ingressaram no BCN até 31/12/1975
  2. Levará em conta o tempo de contribuição até 31/12/1979

2ª metade – Grupo 2

  1. Empregados que ingressaram no BCN a partir de 01/01/1976
  2. Levará em conta o tempo de contribuição até 31/04/1993

Para receber o recurso, cada empregado tem que habitar o seu crédito na ação. Os ex-funcionários que estiverem nas condições acima e ainda não procuraram seu Sindicato, devem fazê-lo com urgência.

Fonte: Seeb Jundiaí e Contraf-CUT

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *