Empossada nova direção nacional da Contraf-CUT para triênio 2012-2015

 

Empossada nova direção nacional da Contraf-CUT para triênio 2012-2015

 
Crédito: Paulo de Tarso – Feeb RJ-ES
Paulo de Tarso - Feeb RJ-ES Posse ocorreu no auditório da Feeb RJ-ES, no centro do Rio

Foi empossada no último sábado (14), às 10h, a nova direção nacional da Contraf-CUT para o triênio 2012-2015, eleita por unanimidade no 3º Congresso realizado de 30 de março a 1ºde abril, em Guarulhos (SP), com a participação de 316 delegados e delegadas de sindicatos e federações filiadas de todo Brasil. A nova diretoria é liderada pelo presidente reeleito Carlos Cordeiro.

A posse ocorreu no auditório da Federação dos Bancários do Rio de Janeiro e Espírito Santo (Feeb RJ-ES), no centro do Rio. “Pela primeira vez, tomamos posse no Rio, onde ocorreu no mesmo dia a apuração das eleições do Sindicato, o segundo maior de bancários do país, com a vitória da Chapa 1, apoiada pela Contraf-CUT, com 86,5% dos votos válidos”, afirma Cordeiro.

A cerimônia foi prestigiada pelo presidente em exercício da Feeb RJ-ES, Nilton Damião Esperança. Também compareceu o presidente reeleito do Sindicato do Rio, Almir Aguiar, além de vários dirigentes da Contraf-CUT.

Conforme decisão do 3º Congresso, a nova direção possui duas novas secretarias: Mulher e Relações de Trabalho. Ambas já existiam na estrutura da CUT. Já a posse solene da nova direção nacional da Contraf-CUT está prevista para o próximo dia 4 de maio, em São Paulo.

Diálogo social e emprego decente

Cordeiro ressalta duas grandes tarefas para a nova gestão. Uma é a ampliação do diálogo com outros atores da sociedade. “Precisamos dialogar com a sociedade, especialmente sobre o sistema financeiro, que é nossa área de atuação. Por isso, é fundamental a realização de uma conferência nacional sobre o tema, a fim de que haja um debate nacional sobre o papel dos bancos estatais e privados. Eles são concessões públicas e precisam atender os interesses da sociedade brasileira. Também queremos discutir outros temas importantes, como as reformas política e tributária”, ressalta.

Outra grande tarefa é a promoção do emprego decente no ramo financeiro, com a luta por proteção contra demissões imotivadas, melhores condições de saúde e trabalho, segurança, remuneração e aposentadoria digna. Entre os principais pontos. “Temos três anos para mudar essa realidade dos bancários. O Brasil está crescendo e precisa distribuir renda e melhorar as condições dos trabalhadores e esse é nosso papel enquanto dirigentes sindicais”, reitera.

Veja a nova direção nacional da Contraf-CUT:

DIRETORIA EXECUTIVA

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email