E finalmente, o Bradesco parou!

         No oitavo dia de greve da categoria, a agência Centro-Jundiaí, Prime, Empresarial, além das agências do Parque da Uva e Vila Arens tiveram as suas atividades paralisadas.

 

         Apesar do clima de tensão, com a presença da Polícia Militar e da perspectiva de medidas judiciais por parte do banco, o movimento grevista não se intimidou.

 

         As três agências funcionaram de forma precária, onde os gerentes insistiram em abrir as agências sozinhos, assumindo inclusive a bateria de caixa. No entanto, a maioria dos funcionários cruzaram os braços. Só na agência Centro, Prime e Empresarial, cerca de 100 funcionários não trabalharam no dia de hoje.

 

         Durante todo o dia, vários boatos percorreram as agências, onde de hora em hora os gerentes pressionaram o movimento grevista com a suposta chegada de um interdito proibitório e a abertura da agência com amparo da Polícia Militar. No entanto, o suposto interdito proibitório não foi entregue e o movimento grevista prolongou-se por todo o dia.

 

         “Vale lembrar que as agências do Bradesco eram as únicas que não haviam aderido à greve da categoria, e a paralisação de hoje é uma demonstração do descontentamento dos funcionários do banco com relação à proposta oferecida pela Fenaban”. – comenta Douglas Yamagata, diretor do Sindicato e funcionário do Bradesco.

        

Compartilhe!