ATUALIZE O SEU CADASTRO

Dieese registra aumento nas negociações do primeiro trimestre

Através da Rede de Apoio às Negociações (RAN), o Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Sócioeconômicas (Dieese) acompanha as negociações salariais de várias categorias filiadas. Mais de 90% das campanhas realizadas de janeiro a março deste ano resultaram em ganhos reais para os trabalhadores
 
Concluíram as negociações os trabalhadores nas indústrias do vestuário (RS), de material plástico (AM) e extrativas (RJ), comerciários (RS), vigilantes (PR), radialistas (BA e nacional), trabalhadores em asseio e conservação (CE, RS e SC), em turismo e hospitalidade (PB), em empresas de processamento de dados (nacional) e profissionais em educação de instituições de ensino particular (DF).
Distribuição dos reajustes salariais em comparação com o INPC-IBGE
Brasil, janeiro a março de 2010
Variação

Nº de casos

Distribuição

Acima do INPC

11

91,70%

Acima de 2%

4

33,30%

De 1,01% a 2% acima

4

33,30%

De 0,01% a 1% acima

3

25,00%

Igual ao INPC

1

8,30%

Abaixo do INPC

0

0,00%

TOTAL

12

100,00%

Fonte: RAN/DIEESE

Reajustes Salariais

Mantendo a tendência verificada nos informes anteriores, quase a totalidade das negociações concluídas e registradas obtiveram aumento real.

A maior parte das categorias registradas negociou reajustes salariais tendo como referência a inflação medida pelo INPC-IBGE. Contudo, observa-se que ao menos uma negociação utilizou o ICV-DIEESE como referência e outra, envolvendo trabalhadores em empresa estatal, utilizou o IPCA-IBGE, o que é comum a negociações do setor. Ambas as negociações conquistaram reajustes salariais em valores idênticos aos índices de referência.

Das negociações que utilizaram o INPC-IBGE como referência, 11 conquistaram aumento real nos salários, que variaram de 0,54% a 5,35%, sendo três com ganhos reais de 0,01% a 1%, quatro entre 1,01% e 2% e quatro acima de 2% (Tabela 1). Dos 15 registros de negociações finalizadas, uma categoria de trabalhadores em empresas estatais obteve o reajuste pelo IPCA-IBGE, o que é uma particularidade destas categorias, e garantiu a reposição da inflação do período. Em geral, as categorias negociam pelo INPC. Outra categoria negociou somente o piso.


Piso Salarial

Das quinze negociações concluídas, dez trouxeram informação sobre reajuste do piso. Os índices conquistados variaram de 5% a 8%. Tomando o INPC-IBGE como deflator, quatro categorias obtiveram ganhos reais de 0,54% a 1,82% nos pisos, três de 2,03% a 2,78% e duas acima de 3%. Considerando o ICV-DIEESE, todas as categorias tiveram, também, ganhos reais nos pisos.

Destaques das Negociações

Os principais temas tratados nas negociações concluídas foram: reajuste salarial, piso salarial, benefícios e abono salarial.

Duas categorias receberam abono além do reajuste nos salários, uma categoria obteve reajustes escalonados e três categorias negociaram acordos com vigência por dois anos. Duas categorias fecharam reajustes diferenciados para os salários e duas categorias negociaram os pisos regionais vigentes. 

Negociações em Andamento

Ainda estão em negociação os gráficos, trabalhadores da construção civil, padeiros e empregados em empresas de processamento de dados (CE), jornalistas profissionais (CE e DF), trabalhadores nas indústrias químicas e farmacêuticas (SP), urbanas (SC), no comércio de minérios e derivados de petróleo (GO) e empregados em conselhos profissionais (DF). Os professores da rede pública estadual (MG) e funcionários públicos estaduais (PE) também iniciaram a campanha de negociação 2010.
Fonte: Vermelho com Dieese

Compartilhe!