Caos em agência do Itaú em Francisco Morato

Itaú Unibanco põe em risco saúde e vida de funcionários em Francisco Morato (SP) PDF Imprimir E-mail
   
12 /03 / 2010

Maior banco privado do país, com lucro estratosférico, o Itaú Unibanco dá exemplo do que é uma administração inconseqüente e desumana. É o caso da agência Francisco Morato, base de Jundiaí e Região, que funciona num espaço onde existia uma agência do Banco do Brasil que, justamente, saiu de lá por não atender às necessidades de uma unidade bancária.

Falta de espaço somada à falta de funcionários gera caos quase todos os dias, com xingamentos de clientes, estresse de funcionários e horas extras absurdas de mais de duas horas diárias.

“A soma destes fatores está prejudicando a saúde dos empregados, inclusive com afastamentos constantes. Além da saúde há um risco que assombra todos os dias, pois em virtude de acúmulo de trabalho, muitos são levados a deixar a agência em horários que põem em risco a segurança do bancário. Principalmente nos dias de movimento, não é raro encontrar funcionário saindo às 19h ou até 20h”, denuncia Elvis C. Batholomeu, dirigente do Sindicato dos Bancários de Jundiaí e Região e funcionário do Itaú Unibanco.

O Seeb/Jundiaí entrou em contato com Departamento de Relações Sindicais do banco, mas até o fechamento desta edição nenhuma solução havia sido apresentada para o problema. “O Sindicato monitorará a situação e, se nada for feito, vamos iniciar um processo de paralisação daquela unidade”, avisa Bartholomeu.

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email