Caixa: proposta insuficiente frustra bancários

Seguindo os passos da Fenaban, a direção da Caixa Econômica Federal também apresentou uma proposta muito aquém das reivindicações da categoria na rodada de negociação desta quarta-feira, 21/9.

>> Veja na íntegra a proposta da Caixa

“A Caixa ignora reivindicações que são prioritárias para o conjunto dos seus empregados, mais uma vez os impelindo à greve como única forma de arrancar avanços consistentes”, afirmou Jackeline Machado, diretora da FETEC-CUT/SP.

Diversos pontos constantes da minuta não foram sequer mencionadas, como é o caso da valorização do piso dos empregados, novas contratações, isonomia entre novos e antigos funcionários e questões importantes sobre saúde do trabalhador e do plano Saúde Caixa.

E não foi só isso que ficou sem solução. Não houve avanço sobre a incorporação do REB pelo Novo Plano da Funcef, uma questão importante já vem sendo tratada e tem posição favorável da diretoria da Fundação.

Outro ponto que não teve consenso foi a extensão da incorporação do valor de R$ 39 aos salários a título de PCS aos empregados que não fizeram o saldamento do plano REG/Replan, e que foram excluídos no ano passado.

Por último, também não foi discutida a revisão do normativo RH022, que permite que o gestor retire a função gratificada do empregado a partir do 16º dia de afastamento do trabalho por motivo de saúde, uma questão bastante delicada e que diz respeito a todos os funcionários.

Nova negociação – Está marcado para a próxima sexta-feira, dia 23/9, após a negociação com a Fenaban, mais uma rodada específica da Caixa .

“É extremamente importante que os empregados participem das assembleias no dia 22/9 e fortaleçam a luta. Apenas com a demonstração de disposição dos empregados de lutar por essas reivindicações é que podemos garantir avanços”, conclama Jackeline.

 Fonte: Fetec/CUT-SP

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email