Banco Mercantil demite todos os 14 funcionários em Vitória da Conquista

 

Banco Mercantil demite todos os 14 funcionários em Vitória da Conquista

 
Crédito: Seeb Vítória da Conquista
Seeb Vítória da Conquista
O Banco Mercantil do Brasil, após 37 anos de funcionamento em Vitória da Conquista (BA), agiu de forma desumana e demitiu todos os funcionários sem qualquer justificativa. A direção do banco, que não fez qualquer comunicado à imprensa e nem aos clientes, fechará as portas a partir do próximo dia 30 de novembro.

“Além da maldade com os funcionários, trata-se de uma falta de respeito com os clientes, que sequer vão poder conversar com os funcionários com quem conviviam há quase 40 anos. A partir de hoje, apenas uma bancária permanecerá no prédio”, explica o Diretor de Imprensa do Sindicato dos Bancários de Conquista e Região, Eduardo Moraes.

Também não houve proposta para a realocação dos funcionários em outras unidades.

O Mercantil foi a décima agência bancária do município, tendo sido inaugurada em 15 de setembro de 1975. A agência contava com 14 funcionários e cerca de 1.000 clientes.

SINDICATO FAZ ACOMPANHAMENTO JURÍDICO

O Sindicato dos Bancários está reunido com todos os funcionários para fazer o acompanhamento jurídico do caso e buscar a abertura de um canal de diálogo com a direção da instituição.

A entidade alerta que a demissão dos 14 funcionários e o fechamento da unidade são uma contradição. No último mês de agosto, o Mercantil anunciou a abertura de 15 novas agências até o final de 2012. Atualmente, o banco conta com 173 unidades bancárias em todo o país, a maioria na região Sudeste.

Entre os bancários, a sensação é traumática e de total revolta por tamanha desumanidade da instituição. Não houve conversa com os trabalhadores. Os relatos apontam que não havia crise e que a unidade vinha cumprindo todas as metas de lucratividade.

“Entendemos essa postura do banco como uma atitude que causa descrédito, abuso de poder, arrogância, coação, intolerância, violência psicológica indevida aos funcionários e seus familiares e com toda a sociedade conquistense”, denuncia o presidente do Sindicato, Delson Coêlho.

Fonte: Seeb Vítória da Conquista

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email