Bancários do Itaú protestam com apoio de clientes e população

Bancários do Itaú protestam com apoio de clientes e população

 

Os bancários do Itaú Unibanco realizam, nesta terça-feira 12, mais um Dia Nacional de Luta contra as demissões.

Com paralisações em várias partes do país, os bancários denunciam o engodo que está por trás da campanha de marketing do maior banco privado do país. Com o slogan “Vamos jogar bola”, o Itaú Unibanco esconde uma realidade de demissões, alta rotatividade, falta de funcionários e pressões por cumprimento de metas.

Na base da FETEC-CUT/SP, ocorrem paralisações durante todo o dia em várias localidades. Na capital paulista, são 23 agências fechadas ao longo de todo o expediente desta terça-feira. No ABC Paulista, permanecem fechadas sete agências em Mauá e Ribeirão Pires.

Em Guarulhos e Jundiaí, as paralisações atingem quatro agências em cada cidade. Enquanto que em Limeira, são duas unidades fechadas ao longo do dia.

Em Bragança Paulista, permanece fechada a maior agência do Itaú Unibanco da cidade. Pela manhã, o sindicato promoveu manifestação, com a encenação de um funeral de bancário demitido, de forma a chamar a atenção da população para os desrespeitos do Itaú Unibanco para com os trabalhadores, clientes e usuários. 

Em Araraquara, houve retardamento da abertura de quatro agências, com distribuição de jornais. Em Catanduva, o sindicato distribuiu bolas, alusivas à campanha de marketing do Itaú Unibanco, juntamente com os jornais elaborados pela Contraf/CUT e COE (Comissão de Organização dos Empregados). 

Os Sindicatos de Assis, Barretos e Mogi das Cruzes também promoveram distribuição de materiais no início da manhã desta terça-feira.

Conforme o diretor de Bancos Privados da FETEC-CUT/SP, Valdir Machado, o protesto está sendo bem aceito e compreendido pelos clientes e população em geral. “Afinal de contas, são inúmeras as pessoas que estão vivendo na pele a precarização do atendimento colocada em prática pelo Itaú Unibanco por conta das demissões”.

Mesmo com o lucro líquido de R$ 3,4 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o banco fechou 1.964 postos de trabalho, uma redução de 7,4% em relação ao mesmo período de 2011, o que acumula um corte de 7.728 vagas nos últimos 12 meses.

O dirigente relata que, além do apoio da população, as atividades contam com boa repercussão nas mídias locais e, inclusive, em outros bancos. “Essa é a resposta dos bancários diante das práticas do Itaú Unibanco. Prosseguiremos com os protestos até que o banco marque negociação e se disponha a dar retorno às demandas dos trabalhadores”, avisa Machado.

Lucimar Cruz Beraldo

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email