Assembleia em Jundiaí aprova propostas da Fenaban, Caixa e BB

 

Após 9 dias de greve que resultou no fechamento de 65 agências na região, a assembléia realizada hoje (26/09) na Sede do Sindicato, aprovou as propostas apresentadas pela Fenaban, Caixa e BB, além de aprovar o fim da greve. Na votação dos funcionários de bancos privados, 93% foram favoráveis a aceitação do acordo e 7% contrários (28×2). Na votação dos funcionários do BB, 73% foram favoráveis ao acordo e 27% contrários (22×8). Na votação dos funcionários da Caixa, 68% foram favoráveis ao acordo e 32% contrários (15×7).

Na negociação entre a Fenaban e o Comando Nacional dos Bancários realizada ontem, a Fenaban propôs 7,5% no salário, que corresponde a 2% de aumento real. A regra básica da Participação nos Lucros e Resultados será de 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.540. A regra determina ainda que devem ser distribuídos no mínimo 5% do lucro líquido. Se isso não ocorrer, os valores de PLR devem ser aumentados até chegar a 2,2 salários.

Os 10% também reajustam o teto do valor adicional que distribui 2% do lucro líquido de forma linear, saindo de R$ 2.800 para R$ 3.080.

Os tíquetes e piso também tiveram aumento de 8,5%, o que representa aumento real de 2,95%.

O auxílio creche também será reajustado, passando de R$284,85 para R$306,21.

 

Cláusulas sociais

Combate ao assédio moral – denúncias sobre assédio moral deverá ser apurados pelo banco em até 60 dias. A novidade é que em caso de reincidência prazo será reduzido.

Afastados – Outra novidade é a cláusula sobre saúde, onde os afastados que aguardam perícia médica terão seus salários assegurados.

Segurança – haverá um projeto piloto sobre segurança em uma região do país, onde representantes dos bancos e dos trabalhadores acompanharão o projeto, cujas agências deverão ser compostas por porta giratória e biombos, além de outros dispositivos de segurança.

 

Igualdade de oportunidades – será realizado um novo censo, com objetivo de apurar as condições das mulheres, negros e pessoas com deficiência, para posteriormente ser instrumento de debate sobre o tema.

Dias parados – Os dias da greve não poderão ser descontados dos bancários. A Fenaban propõe que os dias sejam compensados até 15 de dezembro, de segunda a sexta (exceto feriados), em no máximo duas horas por dia. O que ultrapassar esse período não será considerado.

“Foi uma das Campanhas mais difíceis já realizadas nos últimos anos. Mais uma vez os bancários demonstraram a sua força e conseguimos avançar não só no índice, mas em propostas importantes para toda a categoria. Uma delas é o índice de reajuste nos tickets, fato inédito e que sempre os banqueiros foram contra. Além disso, foram aprovadas cláusulas sociais que inauguram uma nova fase do movimento sindical bancário. Agradecemos todos os bancários e bancárias que se empenharam para que pudéssemos chegar ao nosso objetivo com a greve”. – afirma Paulo Santos Mendonça, presidente do Sindicato.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Jundiaí e Região

 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email