Pesquisar
Close this search box.
Siga nossas Redes

ASSEMBLÉIA AMANHÃ - CAMPANHA SALARIAL

ASSEMBLÉIA AMANHÃ - 06/08/08 - 18:30HS

Aprovação da Minuta de Reivindicações

Na Sede do Sindicato

 

 

Sindicatos realizam assembléia até dia 06 de agosto

Os Sindicatos filiados à Federação dos Bancários da CUT do Estado de São Paulo (FETEC/CUT-SP) realizam, até o dia 06 de agosto, assembléias para aprovação da minuta de reivindicações para a campanha nacional 2008. Os eixos prioritários e políticos foram definidos durante a 10ª Conferência Nacional dos Bancários, ocorrida entre os dias 25 a 29 de julho, em São Paulo.

A Contraf-CUT, juntamente com a FETEC/CUT-SP e demais federações filiadas, estará lançando no dia 12 de julho, terça-feira, a campanha da categoria bancária em nível nacional. As atividades referentes ao lançamento serão divulgadas na próxima semana.

A minuta de reivindicações será entregue à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) no dia 13 de agosto, quarta-feira. A expectativa do movimento sindical bancário é de que neste mesmo dia seja estabelecido o calendário de negociação entre o Comando Nacional e os banqueiros.

Confira abaixo as principais reivindicações da categoria bancária:

EIXOS PRIORITÁRIOS


  • Índice – reajuste salarial de 13,23% (reposição da inflação de 7,87%, mais 5% aumento real)

  • Cesta Alimentação – R$ 415 (mesmo valor do salário mínimo)

  • Vale-Refeição – R$ 17,50 (R$ 385,00 por mês)

  • Auxílio-Creche - mesmo valor do salário-mínimo (R$ 415) com ampliação da idade para 8 anos e 11 meses e comprovação anual dos gastos.

  • Valorização do piso – aumento progressivo, em três anos, até atingir o piso do Dieese, atualmente estimado em R$ 2.074.

  • Participação nos Lucros e Resultados (PLR) - três salários, mais R$ 3.500 de parcela adicional para todos, sem limitador, sem teto e sem compensação dos programas próprios.

  • Plano de Cargos e Salários (PCS)– criação de um PCS para todos, com 1% de reajuste a cada ano de trabalho. A cada cinco anos, esse reajuste será de 2%. O banco fica obrigado a promover o bancário pelo menos um nível a cada cinco anos. A proposta de PCS determina, ainda, que os bancos são obrigados a treinar o trabalhador para a nova função por no mínimo 60 dias. E quando houver uma nova vaga, o banco é obrigado a fazer um processo de seleção interna para preenchê-la. Para cada cargo e função o banco deve apresentar a grade curricular necessária e oferecer o curso aos trabalhadores dentro do expediente. Em caso de descomissionamento do bancário, a comissão será incorporada ao salário integralmente.

  • Fim das Metas Abusivas - bancários querem interferir nas metas para acabar com a pressão e o adoecimento dos trabalhadores. Elas devem ser obrigatoriamente coletivas e não individuais, levando em consideração a região, o porte das agências, o número de funcionários, a base de clientes e o perfil econômico local.

  • Contratação da Remuneração Total - distribuição de 5% da receita de prestação de serviços de forma igualitária entre todos os bancários, com pagamento após a publicação do balanço trimestral e 10% de toda a produção da agência deve ser distribuída entre os trabalhadores da unidade.

  • Novas Conquistas – auxílio-educação, criação de um plano de previdência complementar fechado, com gestão compartilhada

  • Emprego – ratificação da convenção 158 da OIT; defesa de empregos e direitos; cumprimento da jornada de 6 horas; contratação de mais funcionários, estabelecendo um efetivo mínimo para o atendimento de clientes; e aplicação de programas de aprendizagem no sistema financeiro, com idade mínima de 18 anos e as garantias dos mesmos direitos da categoria.

  • Igualdade de Oportunidades - cumprimento da lei de cotas para trabalhadores com deficiência, com condições adequadas para desenvolver o trabalho; promoção de igualdade de oportunidades para todos e todas; isonomia de direitos para homoafetivos, com extensão dos direitos e benefícios; e ampliação das licenças maternidade e paternidade para 180 dias.

  • Segurança – instalação de portas de segurança em todas as agências já no auto-atendimento; pagamento de adicional de risco de morte de 40% do salário para funcionários de agências e PABs.

EIXOS POLÍTICOS


  • Defesa dos bancos públicos

  • Ampliação do crédito produtivo para investimentos no setor de alimentos

  • Redução das taxas de juros

  • Regulamentação do Artigo 192 da Constituição Federal (que define o papel do sistema financeiro no país).

Compartilhe!

Seu Banco

Seu Sindicato