20 anos da convenção coletiva é destaque mundial no site da UNI Finanças

 

20 anos da convenção coletiva é destaque mundial no site da UNI Finanças

 
Crédito: Contraf-CUT
Contraf-CUT A assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que garantiu aumento real de salários pelo nono ano consecutivo, valorização do piso e melhorias na PLR, além de avanços socais, foi destaque mundial no site da UNI Finanças, o braço da UNI Gobal Union, a qual é filiada a Contraf-CUT e que representa 237 sindicatos e 3 milhões de trabalhadores do setor financeiro de todo mundo.

O ato ocorrido no último dia 2, em São Paulo, celebrou os 20 anos da CCT dos bancários, uma conquista da luta de trabalhadores de bancos públicos e privados do Brasil.

Clique aqui para ler a reportagem em inglês da UNI Finance.

Clique aqui para ver a reportagem em português da UNI Finanzas.

“Essa é uma conquista histórica e única no Brasil, uma construção de muitas e muitas gerações de bancários. Fruto da ousadia, da coragem da categoria para a luta, da sua capacidade de organização e da busca permanente da unidade nacional, a Convenção Coletiva é hoje um paradigma para as demais categorias de trabalhadores do Brasil e de todo mundo”, comemora Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

“Assinar a convenção coletiva em 1992, embora naquele momento só para bancos privados e estaduais, foi de extrema importância para nossa luta e sobretudo para nossa unidade. Se antigamente havia os acordos coletivos por Estado, no momento em que conseguimos unificar a categoria numa única convenção, isso abriu um novo caminho para as conquistas futuras que tivemos nos últimos períodos”, conta o dirigente sindical.

Com essa unidade nacional e capacidade de mobilização, por exemplo, nos últimos nove anos os bancários conquistaram com paralisações massivas 16,22% de aumento salarial acima da inflação, além de ganho real de 35,57% no piso e melhorias sucessivas na PLR.

“Além das conquistas econômicas, obtivemos com unidade e luta importantes avanços nas cláusulas sobre saúde, condições de trabalho, combate ao assédio moral, segurança bancária e igualdade de oportunidades”, acrescenta o presidente da Contraf-CUT.

Fonte: Contraf-CUT com UNI Finance

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email