Sindicato denuncia problemas na PSO Jundiaí

Cadê a porta de segurança, Santander??
9 de novembro de 2017
Negros enfrentam mais dificuldades no mercado de trabalho
13 de novembro de 2017

Gestora tem divulgado ranking de vendas pelo WhatsApp. Sindicato lembra que prática é vedada pela Conveção Coletiva.

O Sindicato questionou o gerente em Campinas do CENOP/SP sobre a atuação da gestora da PSO Jundiaí que tem divulgado ranking de venda de produtos e cobrando metas individuais, inclusive pelo WhatsApp.

A diretoria do Sindicato lembra que a criação de grupos em WhatsApp para cobrar metas e serviços constrange os trabalhadores. “O celular é uma ferramenta particular e essa prática é vedada pela Convenção Coletiva de Trabalho”, destaca Silvio Rodrigues, funcionário do BB e diretor do Sindicato.

Silvio informa que, com a pressão por metas, tem sido frequente a rotatividade de funcionários. “Não foi isso que o banco dialogou com o movimento sindical. Os trabalhadores estão ficando pouco tempo numa agência e em semanas mudam de local, principalmente aqueles que vendem menos produtos, portanto, essa tem sido sim uma forma de punição”. Em negociação com a Comissão de Empresa dos Funcionários, a Diretoria de Pessoas informou que é facultativo aos caixas realizar vendas. Não pode haver cobranças de metas individuais. Desde o início de novembro a gestora da PSO estabeleceu a meta de R$ 40 mil de CDC para cada caixa até o final do ano, com monitoramento de resultados.

Outra denúncia é que os caixas serão desviados de suas funções para oferecer crédito nas salas de autoatendimento. Pelo visto, a gestora quer ser mais realista que o rei. Paulo Malerba salienta: “o Sindicato não aceitará desrespeito aos funcionários e à Convenção Coletiva”. Quaisquer outros problemas devem ser denunciados ao Sindicato.